Sinapi: Indice da Construção civil sobe 0,44% em outubro

0
1026
O custo da mão de obra diminui em dezembro e foi de 0,21%

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE, subiu 0,44% em outubro, ficando 0,10 ponto percentual abaixo da taxa de setembro (0,54%). De janeiro a outubro, a variação acumulada está em -0,77%, enquanto em igual período de 2012 havia ficado em 4,99%. O resultado dos últimos 12 meses ficou em -0,12%.

Em outubro de 2012, o índice foi de 0,34%. Estes resultados levam em conta a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil prevista na lei 12.844, sancionada em 19 de julho de 2013.

O custo nacional por metro quadrado foi de R$ 845,31, em outubro, segundo o IBGE
O custo nacional por metro quadrado foi de R$ 845,31, em outubro, segundo o IBGE

 

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em setembro fechou em R$ 845,31, em outubro passou para R$ 849,07, sendo R$ 468,27 relativos aos materiais e R$ 380,80 à mão de obra.

A parcela da mão de obra aumentou 0,33%, 0,15 ponto percentual abaixo da taxa de 0,48% referente ao mês de setembro. Os materiais, por outro lado, registraram uma diferença de 0,05 ponto percentual, indo de 0,59% em setembro para 0,54% em outubro.

De janeiro a outubro os acumulados estão em 3,19% (materiais) e -5,24% (mão de obra), enquanto em doze meses ficaram em 3,78% (materiais) e -4,53% (mão de obra). Da mesma forma, estes resultados levam em conta a desoneração da folha de pagamento.

Centro-Oeste tem maior alta
A região Centro-Oeste, com alta de 1,54%, ficou com a maior variação regional em outubro. As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,92% (Norte), 0,54% (Nordeste), 0,09% (Sudeste), e 0,17% (Sul).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 864,77 (Norte); R$ 791,40 (Nordeste); R$ 880,88 (Sudeste); R$ 872,40 (Sul) e R$ 867,30 (Centro-Oeste).

Com relação aos acumulados, a região Nordeste apresentou a menor variação no ano, -1,77%, além de ser a mais baixa nos últimos doze meses, com -0,60%. Enquanto isso, a região Sul apresentou a maior variação no ano, 0,55%, constituindo-se, também, a mais alta nos últimos doze meses, com 0,95%.

Decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, o Mato Grosso registrou a maior variação mensal: 4,72%.

Sinapi Outubro