Por que a Região Nordeste de BH é a bola da vez?

0
1695

Foi-se o tempo em que imóveis de luxo eram privilégio da Zona Sul de Belo Horizonte. Hoje, outras regiões da cidade -” e uma em especial -” vive um verdadeiro boom imobiliário, em que o carro-chefe são imóveis de qualidade sempre superior ao que era, até então, comum fora da Zona Sul. A Região Nordeste de BH é a bola da vez e tem como pólo principal a Cidade Nova.

-“Até uns cinco anos atrás, a Cidade Nova era um bairro ilhado; um bairro de classe média cercado por bairros populares”, afirma Geraldo Mendes, sócio-proprietário da tradicional Casa Sartori, que tem unidades na Floresta, Cidade Nova e Santa Inês. Em sua opinião, o boom que atinge a região se deve, em parte, à  construção da Linha Verde, mas há outros fatores que podem explicar a potencialidade da região que, além da Cidade Nova, se compõe dos bairros União, Silveira, Nova Floresta, Palmares, Fernão Dias, Renascença, Concórdia e parte da Sagrada Família, Cachoeirinha e Ipiranga.

Entre esses fatores que ajudam a explicara extraordinária valorização dos bairros da região se pode contar a infraestrutura, o acesso rápido e o fato de ainda ser uma região relativamente tranquila. Por isso, Geraldo afirma que é possível encontrar boas opções de investimento nos bairros adjacentes. -“É que, com a valorização da Cidade Nova, toda a região passou a fazer parte desse boom; por isso, aqui não tem mais imóvel popular -” tem o imóvel básico, mas popular, não”, afirma Geraldo, lembrando que isso também se deve ao preço cada vez mais valorizado dos lotes para construção.

-“Valorização vai atingir toda a região; não ficará apenas na Cidade Nova”

Por isso também é cada vez maior na região o número de empresas dedicadas ao setor imobiliário. A própria Sartori, que fica na Avenida Alberto Cintra, 285, um dos points mais fervilhantes da Cidade Nova, está fazendo novos investimentos em sua sede. -“Além de aumentarmos a parte inferior da loja, temos mais um andar”, comemora Geraldo. Além da Castro, construtora tradicional da região, outras, como a Excelsior, Lage, Base e Direcional estão, atualmente, em grande atividade no bairro. Só na pequena Rua Flor de Jequitibá, que tem apenas um quarteirão, há dois novos edifícios em construção. A advogada Eliane Guimaràes Rosado visitou as duas obras no último fim de semana e está decidida.

-” Até o fim do ano me mudo para cá; sempre sonhei morar na Cidade Nova -” diz. Segundo Eliane, -“a região tem muito comércio, mas sua maior característica ainda é o clima residencial e uma infraestrutura voltada para isso: supermercados, shopping, ótimas escolas e a Feira dos Produtores, que eu não conhecia e que me deixou encantada”.

-“E vem mais valorização pela frente”, adianta Geraldo, destacando a facilidade do crédito como outro fator positivo na cena atual: -“a liberação de recursos, hoje, é quase imediata, é como se fosse à  vista”. Embora essa mudança de perfil seja mais visível na Cidade Nova, ela pode ser facilmente percebida em outros bairros, como União, onde já são comuns imóveis de R$ 500 mil e até de R$ 1 milhão. Em breve, tudo indica, esse pique de valorização deverá se estender a toda a Região Nordeste.