Lançamentos imobiliários em Belo Horizonte diminuem

0
242
Os lançamentos imobiliários em Belo Horizonte foram mais de Nova Lima. Foto: Charles Torres/Divulgação Sinduscon-MG
Os lançamentos imobiliários em Belo Horizonte foram mais de Nova Lima. Foto: Charles Torres/Divulgação Sinduscon-MG
Censo mostra que os lançamentos imobiliários em Belo Horizonte estão migrando

Os lançamentos imobiliários em Belo Horizonte estão migrando para cidades da Região Metropolitana. Em janeiro deste ano, a capital mineira registrou 32 lançamentos de apartamentos novos, enquanto em Nova Lima, o número foi de 114 unidades, ou seja, 256% a mais do que na capital mineira. Os números demonstram que o mercado imobiliário de Belo Horizonte está perdendo dinamismo para as cidades vizinhas. É o que demonstra o Censo Imobiliário, realizado pela Brain Bureau de Inteligência Corporativa e divulgados pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG). 

Segundo o vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, Renato Michel,  os dados evidenciam um movimento de redução sistemática da oferta de lançamentos imobiliários em Belo Horizonte disponíveis para comercialização. “Belo Horizonte encerrou o mês de janeiro com 3.232 unidades novas disponíveis para venda. Este é o menor patamar da série histórica iniciada em 2016. A permanecer esse movimento a tendência é o aumento nos preços podendo, inclusive, vir a faltar imóveis novos para vendas na capital”. 

O dirigente explica ainda que a situação pode ser agravada, caso o Plano Diretor da cidade de Belo Horizonte seja aprovado, em segundo turno, pela Câmara Municipal. “Caso aprovado, esse Plano poderá agravar a expulsão das novas construções na cidade. Com isso, Belo Horizonte perderá emprego, renda e desenvolvimento”, diz.

A pesquisa também demonstrou que em janeiro, pelo sétimo mês consecutivo, as vendas de apartamentos novos nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima foram superiores aos lançamentos. No primeiro mês do ano foram comercializadas 176 unidades e lançados 146 apartamentos. Já em julho de 2018 até janeiro de 2019 foram vendidos 1.930 apartamentos novos, enquanto os lançamentos foram de apenas 737 unidades. 

Padrão econômico é maior

Do total de 176 unidades vendidas no primeiro mês do ano, 39,2%, ou seja, 69 unidades eram do padrão econômico, com valores até R$215 mil e 26,7% (47 unidades) possuíam faixa de preço de R$215 mil até R$400 mil. O maior número de vendas foi observado na Região Oeste (61 unidades) e na Região da Pampulha (37 unidades). Já os lançamentos, em janeiro, se concentraram nos imóveis de padrão médio (de R$400 mil até R$700 mil), com 32 unidades e padrão alto (de R$700 mil até 1 milhão), com 114 unidades

O vice-presidente do Sinduscon-MG destaca a importância do segmento imobiliário para Belo Horizonte: “Dados divulgados recentemente pelo Ministério da Economia/Secretaria de Trabalho demonstram que, em janeiro de 2019, a capital mineira registrou um saldo negativo de 990 postos de trabalho com carteira assinada. Esse número só não foi pior porque a construção civil apresentou resultados positivos gerando 1.426 novos postos de trabalho,  com destaque para a construção de edifícios.”, finalizou.