Confiança na construção civil em Minas sobe 3 pontos

0
52
O índice de confiança na construção civil em Minas Gerais, medido pelo ICEICON-MG, está em alta
O índice de confiança na construção civil em Minas Gerais, medido pelo ICEICON-MG, está em alta
Índice de confiança na construção civil em Minas Gerais alcançou 53,8 pontos em julho

A confiança na construção civil em Minas Gerais subiu. O Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais – ICEICON MG – atingiu 53,8 pontos em julho, crescimento de 3,0 pontos em relação a junho (50,8 pontos). O resultado foi influenciado pela menor insatisfação com as condições atuais de negócio, bem como pelas expectativas mais positivas para os próximos seis meses. O índice afastou-se da linha divisória dos 50 pontos, fronteira entre confiança e falta de confiança, o que significa que a confiança está mais disseminada entre os empresários do setor.

O indicador foi 14,2 pontos superior ao verificado em julho de 2018 e o mais elevado para o mês desde 2012, quando alcançou 55,8 pontos. O ICEICON nacional também aumentou em julho (58,7 pontos), na comparação com junho (57,0 pontos). O ICEICON-MG é resultado da ponderação dos índices de condições atuais e de expectativas, que variam de 0 a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos apontam percepção de melhora na situação atual e expectativa positiva para os próximos seis meses, respectivamente. O índice de condições atuais cresceu 4,9 pontos entre junho (42,6 pontos) e julho (47,5 pontos).

Condições de negócios estão abaixo dos 50 pontos

Apesar da alta mensal, o indicador revelou que os empresários da Construção perceberam piora nas condições atuais de negócio, ao continuar abaixo de 50 pontos. Contudo, o índice foi 10,2 pontos superior ao apurado em julho de 2018 (37,3 pontos) e o maior para o mês em sete anos.

O indicador de expectativas para os próximos seis meses aumentou 2,1 pontos em julho (57,0 pontos), frente a junho (54,9 pontos). As perspectivas dos construtores foram positivas pelo décimo mês consecutivo, embora os índices venham oscilando mensalmente entre altas e baixas. O indicador foi 16,3 pontos acima do observado no mesmo mês de 2018 (40,7 pontos) e o primeiro resultado de julho a superar os 50 pontos em sete anos.

SHARE
Previous articleCondômino antissocial deve rever seus atos
Menoti Andreotti
Diretor do emorar, um jornal do setor de imóveis na Internet, com reportagens, entrevistas, colunistas, dicas, sugestões, anúncios, publicidade etc. Google +