Vendas de materiais de construção caem 16,8%

0
456
Crise do mercado imobiliário diminuiu as vendas de materiais de construção
Crise do mercado imobiliário diminuiu as vendas de materiais de construção
Queda nas vendas de materiais de construção atinge 11,4% em 2015

As vendas de materiais de construção caíram 16,8% em setembro, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (ABRAMAT), comparado ao mesmo mês de 2014. Houve queda também com relação a agosto, de 2,3%. No acumulado janeiro-setembro, em relação ao mesmo período do ano passado, a variação também foi negativa de -11,4%. Já o resultado acumulado dos últimos 12 meses apresentou queda de 10,2%. Para o ano de 2015, a previsão aponta para uma retração de 9,0% em relação a 2014.

“As vendas no mercado imobiliário e no mercado da infraestrutura apresentam quedas mais acentuadas, em decorrência das incertezas com a economia, que posterga a realização dos empreendimentos. O próprio PMCMV tem um baixo desempenho de execução. O mercado do varejo, que nos últimos anos vinha crescendo a taxas bastante altas, também vem sofrendo em função do aumento do desemprego, da renda e restrições ao crédito”, afirma o presidente da ABRAMAT, Walter Cover.

O Executivo também acrescentou que é preciso concluir com rapidez os ajustes na economia para restaurar a confiança no mercado e o país voltar a crescer. Acrescentou que o câmbio tem ajudado em parte na substituição de importações, mas ainda há indefinições sobre a política cambial para projetar os reais benefícios dessa mudança.

A ABRAMAT reúne 50 empresas líderes na fabricação de materiais de construção dos diversos segmentos. Entre os temas que representam os focos de atuação da entidade estão: a competitividade da indústria, a desoneração fiscal de materiais para construção, a conformidade técnica e fiscal na produção e comercialização dos materiais, a profissionalização da mão-de-obra da construção e a responsabilidade socioambiental dos agentes do setor.

TOTAL % de setembro/15 comparado a agosto/15 % de setembro/15 comparado a setembro/14 % de jan a set/15 comparado a igual período do ano anterior Acumulado 12 meses (Móvel)
Faturamento Deflacionado
-2,3% -16,8% -11,4% -10,2%
Emprego -0,4% -6,7% -4,6% -3,8%