Vendas de imóveis tem alta em Belo Horizonte em julho

0
344
A Pampulha foi a Região que teve maior número de projetos imobiliários aprovados
A Pampulha foi a Região que teve maior número de projetos imobiliários aprovados
As vendas de imóveis na capital mineira e em Nova Lima alcançaram 425 unidades

As vendas de imóveis residenciais novos aumentaram em Belo Horizonte e Nova Lima em julho. No mês, foram vendidas 425 unidades, uma alta significativa em relação aos 96 registrados no mês anterior. Esse volume de vendas mensal é o segundo maior do ano, ficando atrás somente do registrado em fevereiro, que foi de 491 unidades. Os dados são da Pesquisa do Mercado Imobiliário do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), realizada pela Brain Bureau de Inteligência Corporativa.

Os lançamentos também apresentaram alta, saindo de 108 unidades, em junho, para 524 imóveis, em julho. Deste modo, o estoque de apartamentos novos em julho fechou em 5.020 unidades e o Índice de Velocidade de Vendas no mês subiu para 7,8%.

De acordo com o vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, José Francisco Couto de Araújo Cançado, o segundo semestre começa com perspectivas positivas para o mercado. “No primeiro semestre, toda a economia sofreu com a indefinição política, mas agora há uma retomada da confiança, o que deve destravar os negócios e também os investimentos. O resultado de julho pode ser uma sinalização disso. Cabe lembrar que, tradicionalmente, o mercado imobiliário tem um desempenho melhor na segunda metade do ano”, explica José Francisco.

Pampulha

Em julho, a região da Pampulha foi a que registrou o maior volume de lançamentos, 468 unidades, e também de vendas de imóveis novos, com 307 apartamentos comercializados. Na estratificação por padrões de imóveis, as faixas super econômico e econômico, que compreendem imóveis até o valor de R$ 250 mil, representaram 87,8% do que foi disponibilizado no mercado em julho. As vendas também se concentraram nesse segmento, respondendo por 76,5% do total comercializado no mês. Os imóveis com preços até R$ 250 mil são justamente os que atendem àquela parcela da população que tem mais representatividade no déficit habitacional do País, hoje estimando em cerca de 6 milhões de unidades”, ressalta José Francisco.

No mercado de imóveis comerciais, em julho, foram vendidos 28 imóveis e não ocorreu lançamento. A velocidade de vendas no segmento fechou o mês em 4,3% e o estoque em Belo Horizonte e Nova Lima é de 627 unidades.

A Pesquisa do Mercado Imobiliário do Sinduscon-MG, realizada pela Brain Bureau de Inteligência Corporativa, coletou dados junto a 250 empresas, abrangendo cerca de 90% do total de empreendimentos com venda ativa (em obras ou prontas para morar).