Vendas de imóveis novos em São Paulo caem 56,8% em julho

0
412
Aluguel em São Paulo subiu menos que o IGP-M em 2014, segundo o Secovi-SP
Aluguel em São Paulo subiu menos que o IGP-M em 2014, segundo o Secovi-SP

Segundo semestre iniciou com tendência de baixa em vendas e lançamentos na capital paulista

A venda de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo iniciou o segundo semestre com a tradicional baixa sazonal, de acordo com a Pesquisa Secovi-SP do Mercado Imobiliário. As vendas em julho totalizaram 1.674 unidades, com variação praticamente estável de – 0,9% em relação ao sétimo mês de 2012. Já diante de junho de 2013, houve redução de 56,8%.

Conforme indicador VGV (Valor Global de Vendas), o valor negociado foi de R$ 857,9 milhões, com variação de – 6,3% sobre igual mês de 2012, que alcançou R$ 916,0 milhões – atualizados para julho deste ano.

O indicador VSO (Vendas Sobre Oferta), em porcentagem, para o período de 12 meses encerrado em julho de 2013 continua alto. Atingiu 65,5%, com desempenho superior ao VSO de 12 meses de junho (64,9%) e de dezembro de 2012 (56,7%).

Imóveis de 2 quartos participaram com 688 unidades, equivalente a 41,1% do total das vendas do mês. Já as unidades de um quarto representaram 35,2% do total negociado do sétimo mês do ano.

Lançamentos
A empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp) apurou em julho, na cidade de São Paulo, o lançamento de 1.403 unidades, volume inferior a junho (– 60,7%), quando foram lançadas 3.574 unidades. Em relação a julho do ano passado (1.825 imóveis lançados), a variação foi de – 23,1%.

De janeiro a julho, foram vendidas na cidade de São Paulo 19.174 unidades, um aumento de 40,3% comparado ao mesmo período de 2012, que registrou um total de 13.670 imóveis escoados. As vendas acumuladas no ano atingiram R$ 11,56 bilhões, contra R$ 7,48 bilhões, ambos atualizados para julho de 2013, o que representou crescimento de 54,6%.

Os lançamentos residenciais cresceram 39,3% na comparação entre os sete meses de 2013 (15.386 unidades) e igual intervalo de tempo de 2012 (11.049 imóveis).

Ainda assim, de acordo com o presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes, os excelentes resultados observados no primeiro semestre e as perspectivas para a segunda metade do ano, de desempenho do mercado muito próximo ao de 2012, permitem apostar em um crescimento de 30% nas vendas para 2013. “Nada mal para um ano marcado por incertezas no ambiente econômico”, afirma.

Fonte: Secovi-SP.