Vendas de imóveis no Brasil crescem 0,7% no semestre

0
581
Em 12 meses, as vendas de imóveis no Brasil ficaram estáveis
Em 12 meses, as vendas de imóveis no Brasil ficaram estáveis
Além do crescimento das vendas de imóveis no Brasil, os lançamentos também subiram  9,4% no acumulado de janeiro a julho 

As vendas de imóveis no Brasil subiram 0,7% no primeiro semestre do ano, de acordo com informações de empresas associadas à Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).  Os lançamentos realizados este ano somaram 37.158 unidades, volume 9,4% superior ao registrado entre janeiro e julho do ano anterior. Na mesma base de comparação, as vendas de imóveis novos totalizaram 58.214 unidades. Esse número supera em 0,7% o volume comercializado no mesmo período de 2016, impulsionado pelo programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Nos últimos 12 meses, embora os lançamentos (72,9 mil unidades) tenham crescido 7,1%, as vendas (103,5 mil unidades) permaneceram praticamente estáveis em relação aos 12 meses anteriores.

Na ótica por segmento, destaca-se o desempenho distinto entre empreendimentos residenciais de médio e alto padrão (MAP) e empreendimentos residenciais vinculados ao programa MCMV. De um lado, os lançamentos residenciais de médio e alto padrão recuaram 6,5% nos últimos 12 meses, ao passo que as vendas do segmento acumularam queda de 17,5% no período. Na mesma base de comparação, as entregas de empreendimentos MAP recuaram (-22,9%), enquanto o volume médio ofertado no segmento declinou em 8,3%.

Lançamentos do Minha Casa, Minha Vida crescem

Seguindo uma trajetória distinta, o número de lançamentos residenciais do programa MCMV aumentou 12,2% nos últimos 12 meses face ao período anterior. A tendência positiva foi acompanhada pelo aumento no volume de vendas (+24,1%) e também na oferta média (+21,5%) do segmento, na mesma base de comparação. As entregas referentes aos empreendimentos do programa MCMV, contudo, declinaram em 14,8% no intervalo de referência.

Considerando todos os segmentos, foram registrados cerca de 38 mil distratos nos últimos 12 meses, o equivalente a 37,0% das vendas. No mesmo período, a relação entre distratos e vendas do segmento MAP manteve-se em torno de 48,1%, face ao percentual de 20,5% observado entre empreendimentos MCMV. Levando-se em conta a safra de lançamentos mais antiga na série histórica (1o trimestre de 2014), a proporção de distratos entre as unidades vendidas do segmento MAP é de 32,3%, percentual que supera o registrado para a mesma safra do programa MCMV (20,2%).

Os Indicadores Abrainc/Fipe do Mercado Imobiliário são desenvolvidos e calculados pela Fipe em parceria com a Abrainc.