Vendas de imóveis em SP caem 20,5% em julho

0
164
De janeiro a julho deste ano, as vendas de imóveis em São Paulo caíram 25%
De janeiro a julho deste ano, as vendas de imóveis em São Paulo caíram 25%
Em relação a junho, as vendas de imóveis caíram 60,5% em São Paulo

As vendas de imóveis em São Paulo em julho caíram 20,5%, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo pesquisa do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). Em julho, 828 unidades residenciais novas foram comercializadas na cidade de São Paulo. O volume é 60,5% inferior ao total vendido em junho (2.097 unidades) e 20,5% abaixo da quantidade comercializada em julho do ano passado (1.042 unidades).

No acumulado de janeiro a julho, foram comercializadas 8.022 unidades residenciais na Capital, volume 25% inferior ao total vendido no mesmo período de 2015 (10.700 unidades). 

De acordo com dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), a cidade de São Paulo registrou um total de 1.099 unidades residenciais lançadas em julho, volume 49,5% inferior ao de junho (2.178 unidades) e 33,2% superior a julho de 2015 (825 unidades).

De janeiro a julho deste ano, foram lançadas 6.830 unidades residenciais no município de São Paulo, com queda de 37,1% em relação ao mesmo período de 2015 (10.852 unidades). 

 Os imóveis de 2 quartos continuaram predominando em todos os indicadores da pesquisa de julho: 489 unidades vendidas, 587 lançadas, oferta final de 9.300 unidades e VSO de 5,0%. Unidades de 1 quarto também apresentaram bom desempenho, com 222 vendas, 250 unidades lançadas, oferta final de 8.078 imóveis e VSO de 2,7%.

Por faixas de área útil, unidades com metragem entre 45 m² e 65 m² lideraram os lançamentos (481 unidades) e a oferta (9.444 unidades), o que equivale a uma participação de 38,3% do total da ofertado e não vendido.

Nas vendas, predominaram os imóveis com menos de 45 m², com 346 unidades vendidas. Consequentemente, a faixa registrou o melhor VSO (4,5%). 

Preços

Os imóveis com preços entre R$ 225 mil e R$ 500 mil lideraram com 321 unidades comercializadas, 498 unidades lançadas, VSO de 2,6% e oferta final de 11.856 unidades – o equivalente a 48% do total de imóveis não vendidos na cidade de São Paulo.

Conclusões 

De acordo com os analistas do Secovi-SP, o mercado continua concentrado em imóveis de valores até R$ 500 mil e a redução no volume de vendas em julho já era esperada, em razão do período de férias escolares que, habitualmente, diminui a visita de famílias aos plantões de venda. No entanto, a expectativa é que haja reação no segundo semestre.

“A perspectiva de adoção de medidas que estimulem o setor e, consequentemente, possam desencadear o processo de crescimento econômico, também nos leva a crer que haverá um ambiente mais favorável aos negócios e aos investimentos”, afirma o presidente do Secovi-SP, Flavio Amary, ressaltando, porém, que a redução na taxa de juros (hoje em 14,25%) é fundamental para retomar a produção e a venda de imóveis.