Vendas de imóveis caem 2,1% no trimestre

0
284
Entre julho e setembro, as vendas de imóveis superaram o de lançamentos em 88,7%
Entre julho e setembro, as vendas de imóveis superaram o de lançamentos em 88,7%
Indicadores calculados pela Abrainc, em parceria com a Fipe, mostram que as vendas de imóveis recuaram em relação ao trimestre anterior   

As vendas de imóveis residenciais novos caíram 2,1% no trimestre finalizado em setembro, enquanto os lançamentos recuaram 8,7% e a quantidade de entregas de unidades ficou 9,8% menor no período em relação ao trimestre anterior. Os dados compõem os Indicadores Abrainc-Fipe, divulgados pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Entre julho e setembro, as vendas de imóveis  superaram o de lançamentos em 88,7%. Foram vendidas 25.150, lançadas 13.328 e entregues 28.449 unidades no período. Na comparação com o mesmo período em 2014, houve queda expressiva de 32,9% nas unidades entregues e de 13,6% nas vendas. Já no número de lançamentos, houve leve retração de 2,3%.

Ainda segundo a pesquisa, a Venda sobre Oferta (VSO), após duas altas consecutivas, teve redução para 22,4% no trimestre finalizado em setembro. Com o resultado, a estimativa é de que a oferta atual de imóveis se esgotaria em 13,4 meses. No trimestre anterior, finalizado em junho, a estimativa era de 12,4 meses.

A taxa de inadimplência potencial, por sua vez, apresentou ligeira alta de 0,5 ponto percentual frente ao trimestre anterior. Na comparação com o período julho-setembro de 2014, o aumento foi de 2,3 pontos percentuais.

Para o vice-presidente executivo da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Renato Ventura, os números refletem o atual momento da economia. “Frente ao trimestre anterior e ao mesmo período do ano passado, houve queda nas vendas e nos lançamentos, o que é normal no cenário de instabilidade política e desaceleração da economia. No entanto, o mercado oferece boas oportunidades para quem quer comprar. Os estoques vêm baixando e apontam para a demanda de novos lançamentos em 2016”, afirmou.

Fonte: PiniWeb.