Venda de imóveis em São Paulo cresce 21,5% em janeiro

0
273
Aluguel em São Paulo subiu menos que o IGP-M em 2014, segundo o Secovi-SP
Aluguel em São Paulo subiu menos que o IGP-M em 2014, segundo o Secovi-SP

As vendas superaram os resultados de janeiro de 2013

A venda de imóveis novos  residenciais na cidade de São Paulo iniciou 2014 com 1.030 unidades comercializadas. Isso representa um crescimento de 21,5% sobre janeiro do ano passado, quando foram comercializadas 848 unidades.

De acordo com a Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada mensalmente pelo departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, essas vendas movimentaram R$ 484,2 milhões, com variação de 10,1% sobre os R$ 439,8 milhões de janeiro de 2013, atualizados monetariamente pelo INCC-DI (Índice Nacional de Construção Civil).

 Em janeiro, foram vendidos 1.030 apartamentos novos em São Paulo. Foto: sampaonline.com.br
Em janeiro, foram vendidos 1.030 apartamentos novos em São Paulo. Foto: sampaonline.com.br

Imóveis de 2 e 3 quartos somaram 81,9% do total vendido no primeiro mês do ano, com 514 e 330 unidades, respectivamente. O segmento de 2 dormitórios foi responsável por praticamente metade das vendas de janeiro (49,9%).

Lançamentos
De acordo com a Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), os lançamentos residenciais na cidade de São Paulo totalizaram 413 unidades, uma redução de 37,4% em relação ao volume apurado em janeiro de 2013 (660 imóveis).

Em termos de segmentação, imóveis de 1 quarto participaram com 39,5% (163 unidades) no total lançado. Já os imóveis de 2 dormitórios ocuparam a segunda colocação em lançamentos, com 132 unidades e 32,0%.

Apesar da redução de atividades de comercialização em período de sazonalidade – tradicional do início do ano –, o mercado registrou melhores resultados em relação ao primeiro mês de 2013.

Na avaliação do presidente em exercício do Secovi-SP, Flávio Prando, os números de janeiro refletem o comportamento que o mercado apresentou ao longo do ano passado, quando conquistou resultado satisfatório. “Apesar da percepção generalizada de que a economia nacional está ruim, os fundamentos que estimulam o mercado imobiliário continuam bons e fortes, o que nos leva a manter a perspectiva de estabilidade em lançamentos e vendas para este ano”, afirma.

Fonte: Secovi-SP.