Venda de imóveis em São Paulo cai 35,2% em 2014

0
341
Apesar da queda nas vendas, os preços de imóveis em São Paulo subiram 7,39%
Apesar da queda nas vendas, os preços de imóveis em São Paulo subiram 7,39%

Apesar da queda nas vendas,  os preços de imóveis em São Paulo subiram 7,39% em relação a 2013

O ano de 2014 não foi fácil para o mercado imobiliário paulista.  Segundo dados do Balanço do Mercado Imobiliário do Sindicato da Habitação (Secovi-SP),  os consumidores menos confiantes fizeram com que as vendas de imóveis em São Paulo fechassem o ano passado em 21,6 mil unidades, uma queda de 35,2% em comparação com as 33,3 mil unidades comercializadas em 2013.

Os motivos foram os baixos indicadores econômicos, eventos atípicos como o Carnaval, em março, a Copa do Mundo e as eleições presidenciais, que  contribuíram para aumentar a insegurança e desviar a atenção dos consumidores, que adiaram as decisões de compra.

Os imóveis de 1 quarto representaram 28% do volume comercializado durante o ano, um recorde em termos de participação dessa tipologia no total. Apartamentos de 2 dormitórios participaram com 46% do total de vendas, seguidos por unidades de 3 quartos, com 21%, e as de 4 ou mais quartos, com 5%.

Preços – Os preços médios dos imóveis lançados no ano de 2014 subiram 7,39% em relação a 2013, variação próxima ao índice Fipe/ZAP, de 7,33%. Com esse aumento, o preço médio do metro quadrado de área útil do município de São Paulo em dezembro do ano passado foi de R$ 9.300,00. Descontada a variação do INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), o aumento real dos imóveis novos foi de 0,4%, comprovando que os preços subiram próximos à inflação, diferentemente do ocorrido nos anos de 2010 e 2011, períodos de grande valorização.

Em 2014, foram comercializados R$ 11,9 bilhões na cidade de São Paulo, com queda de 41,9% em relação ao montante de R$ 20,5 bilhões de 2013, considerando os valores atualizados pelo INCC (Índice Nacional de Custo de Construção).

O VSO (Vendas Sobre Oferta) de 42,1% do ano reflete o descompasso entre a quantidade de lançamentos e vendas. O mercado imobiliário encerrou 2014 com um desempenho de vendas abaixo da média de 58%. Entretanto, esse resultado não é preocupante, já que os empresários estão adaptando as estratégias de atuação de suas empresas contando com um ritmo menor de vendas.

Lançamentos – Em 2014, segundo a Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), foram lançadas 31,7 mil unidades no município de São Paulo, o que representou uma redução de 7% em relação a 2013.

A Zona Oeste foi a região com a maior quantidade de lançamentos, com 8.112 unidades, correspondente a 26% do total da cidade; seguida pelas zonas Sul, com 7.599 unidades; Leste, com 6.799 unidades; Centro, com 5.058 unidades; e Norte, com 4.111 unidades. Em termos de tipologia, os imóveis de 2 dormitórios prevaleceram nas zonas Leste, Norte e Sul. Já nas zonas Centro e Oeste, os imóveis que tiveram uma maior participação nos lançamentos foram os de 1 dormitório.

Perspectivas – As diferenças entre os desempenhos dos mercados da Capital e dos outros municípios da RMSP evidenciam a necessidade de equilibrar as vendas e os lançamentos na cidade de São Paulo, o que poderá ocorrer de forma gradual.

Esse ajuste dependerá, em parte, da conjuntura política e econômica no primeiro semestre deste ano. Se houver uma melhora no período, a previsão é de que as vendas reajam positivamente e incrementem a comercialização em 10%, comparado a 2014. Existe, também, a possibilidade de queda de 10% nas vendas.

Fonte: Secovi-SP.