Tapete na sala de jantar é possível e bonito

0
203
​Sem medo de ousar, o tapete utilizado por Rosane Guedes na sala de jantar trouxe mais sofisticação ao ambiente. Foto: Rafael Carrieri
​Sem medo de ousar, o tapete utilizado por Rosane Guedes na sala de jantar trouxe mais sofisticação ao ambiente. Foto: Rafael Carrieri
Designer mostra que é possível especificar tapete na sala de jantar ampliando a sofisticação do espaço e aliando o papel estético ao funcional 

Durante muito tempo, o uso do tapete na sala de jantar gerou dúvidas. Uns falavam que era errado, outros diziam que quem deveria decidir era o usuário do espaço. Enfim, o certo é que por receio de cometer uma gafe, muita gente preferia não lançar mão dessa composição.

Mas a designer de interiores Rosane Guedes quebrou esse tabu definitivamente. Em seu ambiente, uma Sala de Jantar, para a décima edição da  Morar Mais Por Menos, ela ousou e inseriu um lindo tapete. “Os tapetes aquecem o ambiente e trazem aconchego. É uma opção sofisticada para a sala de jantar”, destaca a profissional.

O tapete especificado pela designer delimitou com requinte a área para as refeições. “Este tapete tem o pelo baixo, compactado e firme. Além disso, tem ampla flexibilidade por ser de material sintético. Ele trouxe impacto visual ao espaço por causa do desenho diferenciado e a cor azul acinzentada”, detalha Rosane.

De acordo com ela, para que a composição fique bonita, deve-se apenas tomar cuidado com o tamanho do tapete que será colocado nesse ambiente. “O ideal é que as cadeiras da sala de jantar estejam sobre o tapete, por isso, devemos ter no mínimo 60 centímetros de sobra de tapete de cada lado da mesa”, ensina.

Para quem ainda está receoso e não sabe se aposta nessa solução, a profissional reforça: “Não existe certo ou errado, depende muito do gosto e necessidade de cada um. Algumas pessoas adoram andar descalças pela casa ou sentar na mesa de jantar e sentir o toque macio do tapete. Já outros têm medo que alguma comida ou bebida venha a cair no tapete dificultando a manutenção. A escolha é muito pessoal”, diz Rosane.