Sinapi: custo da construção subiu 6,20% em 2014

0
405
O custo com a mão de obra em 2014 registrou alta de 7,74%
O custo com a mão de obra em 2014 registrou alta de 7,74%

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE em parceria com a CAIXA, e que mede o custo da construção, apresentou variação de 0,65% em dezembro, o que significou uma aceleração de 0,45 ponto percentual em relação à taxa de 0,20% de novembro. Com isto, em 2014, o Sinapi subiu 6,20%, enquanto o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), calculado pelo Banco Central, subiu 6,40%. Os resultados acumulados levam em conta a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil prevista na lei 12.844, sancionada em 19 de julho de 2013.

O custo com a mão de obra em 2014 registrou alta de 7,74%
O custo com a mão de obra em 2014 registrou alta de 7,74%

A parcela de materiais, com variação de 0,49%, comparada com o mês anterior (-0,07%), registrou aceleração de 0,56 ponto percentual. A mão de obra ficou em 0,84%, o que significa um crescimento de 0,32 ponto percentual em comparação a novembro (0,52%).

Por metro quadrado, o custo nacional passou de R$ 907,43 (novembro) para R$ 913,32 (dezembro), sendo R$ 497,37 relativos às despesas com materiais e R$ 415,95 com a mão de obra.

Os resultados do Sinapi de 2014 apontam uma variação de 4,90% para os materiais. Já o acumulado da parcela do custo referente aos gastos com mão de obra registrou alta de 7,74%. Em 2013, a parcela dos materiais aumentou 4,48% e a mão de obra passou a custar 3,94% menos já que, naquele ano, incidiu a desoneração sobre a folha de pagamentos. Assim, por metro quadrado, as despesas com materiais chegaram a R$ 497,37 em dezembro de 2014, enquanto que a parcela da mão de obra fechou o ano em R$ 415,95.

Região Sudeste tem maior alta

No mês de dezembro, a região Sudeste se destacou por apresentar a maior aceleração no custo, com 0,96%, e também o acumulado mais elevado, 6,61%. As demais variações foram: 5,88% (Norte); 5,62% (Nordeste), 6,11% (Sul) e 6,60% (Centro-oeste).

Quanto aos custos da construção, as regiões ficaram com os seguintes valores por metro quadrado: R$ 922,27 (Norte); R$ 851,61 (Nordeste); R$ 954,31 (Sudeste); R$ 927,22 (Sul) e R$ 927,03 (Centro Oeste).

Devido à pressão exercida pelo reajuste salarial decorrente de acordo coletivo, Minas Gerais foi o estado que ficou com a maior taxa mensal, 3,75%. Rio Grande do Norte e Piauí, também captando acordo coletivo, apresentaram a segunda e terceira maiores taxas no mês, respectivamente 3,58% e 3,23%.

TABELA 1 – SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL
Dezembro/2014 considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil
ÁREAS GEOGRÁFICAS
CUSTOS MÉDIOS
NÚMEROS ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2
Jun/94=100
MENSAL
NO ANO
12 MESES
BRASIL 
913,32
457,14
0,65
6,20
6,20
REGIÃO NORTE 
922,27
459,48
0,10
5,89
5,89
Rondônia
974,13
543,09
-0,03
5,83
5,83
Acre
1018,30
540,62
0,22
7,10
7,10
Amazonas
915,87
448,33
0,65
5,02
5,02
Roraima
998,35
414,72
0,23
7,35
7,35
Para
893,93
428,35
0,04
5,61
5,61
Amapá
892,94
433,66
-0,78
7,48
7,48
Tocantins
953,45
501,28
-0,56
6,49
6,49
REGIÃO NORDESTE 
851,61
460,01
0,58
5,61
5,61
Maranhão
869,62
458,13
0,68
1,07
1,07
Piauí
879,20
584,28
3,23
5,75
5,75
Ceara
844,93
487,96
0,21
5,36
5,36
Rio Grande do Norte
818,89
412,69
3,58
5,86
5,86
Paraíba
899,59
497,43
-0,12
7,66
7,66
Pernambuco
854,88
457,11
-0,27
8,07
8,07
Alagoas
835,42
417,41
0,98
5,16
5,16
Sergipe
804,51
427,50
-0,38
5,30
5,30
Bahia
841,52
445,15
0,46
6,22
6,22
REGIÃO SUDESTE 
954,31
456,76
0,96
6,61
6,61
Minas Gerais
870,58
479,14
3,75
6,55
6,55
Espirito Santo
836,52
464,02
0,71
8,35
8,35
Rio de Janeiro
1044,48
476,03
0,30
8,11
8,11
São Paulo
978,13
441,74
-0,16
5,88
5,88
REGIÃO SUL 
927,22
443,55
0,42
6,15
6,15
Paraná
933,35
446,36
0,13
4,56
4,56
Santa Catarina
966,49
523,53
0,88
7,29
7,29
Rio Grande do Sul
879,10
399,08
0,44
7,76
7,76
REGIÃO CENTRO-OESTE
927,03
473,26
0,38
6,60
6,60
Mato Grosso do Sul
905,66
425,81
-0,17
5,63
5,63
Mato Grosso
933,62
532,74
0,39
5,65
5,65
Goiás
905,88
478,52
0,90
7,43
7,43
Distrito Federal
962,44
425,13
0,04
7,43
7,43
SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL
Dezembro/2014 não considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil
ÁREAS GEOGRÁFICAS
CUSTOS MÉDIOS
NÚMEROS ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2
Jun/94=100
MENSAL
NO ANO
12 MESES
BRASIL 
977,25
489,10
0,67
6,29
6,29
REGIÃO NORTE 
982,25
489,24
0,07
5,93
5,93
Rondônia
1036,73
578,01
-0,01
5,83
5,83
Acre
1082,98
574,82
0,13
7,11
7,11
Amazonas
975,14
477,43
0,57
5,01
5,01
Roraima
1067,23
443,30
0,22
7,52
7,52
Para
952,98
456,70
0,03
5,69
5,69
Amapá
947,16
459,89
-0,88
7,53
7,53
Tocantins
1014,57
533,40
-0,53
6,69
6,69
REGIÃO NORDESTE 
907,32
490,12
0,59
5,74
5,74
Maranhão
923,90
486,79
0,64
1,11
1,11
Piauí
935,09
621,38
3,49
5,84
5,84
Ceara
898,03
518,48
0,18
5,54
5,54
Rio Grande do Norte
872,59
439,65
3,84
5,97
5,97
Paraíba
956,57
529,00
-0,11
7,72
7,72
Pernambuco
912,01
487,47
-0,26
8,13
8,13
Alagoas
889,35
444,41
0,92
5,29
5,29
Sergipe
857,14
455,59
-0,43
5,47
5,47
Bahia
899,30
475,76
0,43
6,39
6,39
REGIÃO SUDESTE 
1025,29
490,70
1,02
6,72
6,72
Minas Gerais
932,17
513,02
3,96
6,60
6,60
Espirito Santo
894,02
495,97
0,75
8,31
8,31
Rio de Janeiro
1123,50
512,19
0,28
8,32
8,32
São Paulo
1052,61
475,51
-0,14
6,04
6,04
REGIÃO SUL 
996,39
476,50
0,41
6,19
6,19
Paraná
1005,42
480,79
0,12
4,64
4,64
Santa Catarina
1042,34
564,59
0,88
7,28
7,28
Rio Grande do Sul
936,95
425,30
0,42
7,88
7,88
REGIÃO CENTRO-OESTE
986,72
503,62
0,36
6,62
6,62
Mato Grosso do Sul
963,16
452,70
-0,16
5,74
5,74
Mato Grosso
996,23
568,49
0,37
5,79
5,79
Goiás
961,97
507,89
0,85
7,30
7,30
Distrito Federal
1024,75
452,71
0,04
7,43
7,43
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços. 
SHARE
Artigo anteriorAs cores na decoração em 2015
Próximo artigoAno novo, casa nova
Diretor do emorar, um jornal do setor de imóveis na Internet, com reportagens, entrevistas, colunistas, dicas, sugestões, anúncios, publicidade etc. Google +