Série: Raio-X da capital mineira – Região Leste

0
1102
Boulevard Shopping é um dos novos investimentos da Região Leste de BH. Foto Marcelo Coelho/divulgação

Novos empreendimentos transformam potencial imobiliário da área
Ana Clara Otoni

Belo Horizonte tem passado por transformações em todas as regiões devidas, principalmente, ao adensamento da população – o que gerou novas necessidades de empreendimentos residenciais. A partir desta semana, o portal emorar apresenta uma série de reportagens mostrando um raio-X da cidade. Os bairros de maior destaque em cada região e o potencial dessas áreas em relação ao setor imobiliário e à busca pela qualidade de vida das pessoas que moram na capital mineira.

A expansão do vetor Norte a partir de 2009, principalmente, com a construção da Cidade Administrativa, sede do governo, fez com que a região Leste da capital se transformasse, especialmente, por estar na rota de acesso do novo centro do Poder Executivo do Estado. O lançamento do shopping Boulevard e de um hotel acima deste centro de compras, no bairro Santa Efigênia, a modernização do estádio do Independência, no Sagrada Família, a construção do Hospital da Unimed, no bairro Santa Efigênia, o alargamento da avenida dos Andradas – principal acesso da área – e a construção de vários condomínios de médio e alto luxo promovem a valorização da região Leste da capital.

Um dos diretores do Sindicato da Construção Civil de Minas Gerais (Sinduscon), Jorge Luiz de Almeida, destaca a transformação das construções, antes unifamiliares, para multifamiliar, com a verticalização da região. Ele explica que devido à proximidade com a região hospitalar, a região se desenvolveu ainda no início da criação de Belo Horizonte – o que faz com que até hoje os bairros quem compõem a zona Leste, como Santa Tereza, Santa Inês e Floresta, por exemplo, ainda preservem muitas construções antigas. “O problema é que os filhos dos proprietários mais velhos querem continuar morando nessa região, o que tornou necessária a transformação do espaço, antes composto muito mais por casa, para a construção de prédios”, diz Almeida.

Vitor Moreira e Gabriela Noronha escolheram o bairro Boa Vista, região Leste, para morar
Vitor Moreira e Gabriela Noronha escolheram o bairro Boa Vista para morar

Foi a expansão imobiliária da região que permitiu ao casal Vitor Moreira e Gabriella Noronha comprar um apartamento ainda na planta no bairro Boa Vista. “Optamos pelo bairro pela infraestrutura, além disso, a região oferece comércio variado, muitas linhas de ônibus e nosso futuro apartamento ficam próximos de uma estação de metrô”, justificou o empresário Moreira. Com a noiva, que é administradora pública, Vitor percebeu que ainda o potencial de valorização dos imóveis da região. “Mesmo não comprando com o propósito de investimento, vejo que a proximidade com o estádio Independência e as obras que a Vale [viadutos estão sendo construídos pela mineradora para evitar o cruzamento de ruas com a linha férrea] tem feito na região, creio que vá acontecer uma valorização nos próximos anos nos imóveis da zona Leste”, vislumbra.

Prova de tamanha expansão é mostrada em um levantamento feito pelo Sinduscon, em 2011, que apontou o bairro Esplanada, na região Leste, como o segundo bairro com o maior número de imóveis vendidos. Foram 258 residências vendidas no ano passado, e ainda na mesma zona de localização, o bairro Paraíso fechou o ano em 7º lugar no ranking dos bairros com maior disponibilidade de imóveis à venda: eram 110 até dezembro de 2011.

De acordo com uma pesquisa do Instituto de Pesquisas Econômicas Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead), o aluguel médio de um apartamento na região Leste é de R$ 1.082,90. Ou seja, uma boa opção para quem busca infraestrutura e segurança perto do centro da capital. Afinal, na comparação com a região Centro-Sul que agrega os bairros mais cobiçados de Belo Horizonte, o valor a ser desembolsado no fim do mês pelo inquilino dessa região é bem mais salgado, algo em torno de R$ 2.582,82.
Segurança, mobilidade e comércio.

Morando há 17 anos no bairro Sagrada Família, a dona de casa Sandra Mara de Carvalho, de 46 anos, destaca a proximidade com o centro e o clima familiar da região como as principais vantagens da zona Leste. “Percebo uma tradição no bairro, os pais deixam os imóveis para os filhos, que optam por continuar morando na região. Além disso, estamos perto do centro e tenho uma infraestrutura muito boa para a educação dos meus filhos”, aponta. Sandra mora com o marido e os dois filhos, de 10 e 7 anos, no mesmo apartamento há 12 anos e acompanhou as mudanças da região.

Hospital da Unimed, na avenida do Contorno

A presença de colégios renomados como Magnum, Nossa Senhora das Dores, Santa Maria e Colégio Batista na região dão a ela tranquilidade no quesito educação dos filhos. “Em dez minutos estou em qualquer um desses colégios, que são conceituados em Belo Horizonte. Fico tranquila porque eles vão estar perto de mim”, conta. A mobilidade também foi apontada pelo empresário Vitor Moreira como fator importante na escolha da região para sua moradia. “A avenida dos Andradas é o principal corredor do bairro Boa Vista e, em comparação com outras vias, como Antônio Carlos, Cristiano Machado e Nossa Senhora do Carmo, tem uma fluidez maior no trânsito nos horários de pico”, analisa.

Por outro lado, a Sandra Mara mostra que a região tem certas peculiaridades. “No meu bairro, por exemplo, não há agência bancária e nem dos Correios, além disso, faltam alguns setores no comércio local”, reclama. Para ela, a falta desses serviços deve-se ao desinteresse da comunidade do bairro. “Acho que nem os moradores querem ter esses serviços por aqui, o que atrairia mais gente para a região e deixaria as coisas mais inseguras. O bairro Floresta é aqui do lado e atende bem quem mora no Sagrada Família e precisa de bancos ou do serviço dos Correios”, justifica.

Mercado
De olho neste cenário favorável a novos empreendimentos, muitas construtoras estão apostando em empreendimentos na região Leste. A Habitare, por exemplo, está lançando o condomínio Paraíso Monte Castelo, no bairro Santa Efigênia. A grande aposta é na área de lazer independente, com salão de festas, espaço fitness, gourmet, churrasqueira, kids, além de piscina e quadra poliesportiva. Para o gerente de marketing da Habitare, Bruno Cotta, a construção do condomínio é uma ação inédita no mercado da construção civil em Minas Gerais. “Com ela, buscamos proporcionar ao cliente a oportunidade de se sentir na futura casa no mesmo momento em que ele aproveita as conveniências de um importante centro comercial e de lazer da região”, explica Cotta.

A moradora Sandra Mara de Carvalho observa essa expansão na região com bons olhos. “Há um prédio em frente à nossa casa sendo lançado. São sete apartamentos – um por andar – e avaliados em R$ 600 mil cada um, ou seja, há investimento e procura pela região”, diz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Regional Leste em números*

. Extensão territorial: 28 km2 (8,4% do território de Belo Horizonte)
. Nº habitantes: 237.441(Censo IBGE/ 2010)
. Nº de bairros: 25 bairros, 15 vilas e 2 conjuntos habitacionais
. Jornais locais: 10
. Centro de Convivência de Saúde Mental: 01
. Centro de Referência de Saúde Mental (CERSAM): 01
. Unidades básicas de Saúde: 14
. Núcleo de Cirurgia Ambulatorial: 01
– Centro de Especialidades Médicas (CEM): 01
. Farmácia Distrital: 01
. Laboratório Distrital: 01
– Centro de Reabilitação: 01
– Unidade de Pronto Atendimento (UPA): 01
– Centro de Testagem e Aconselhamento: 01
. Creches conveniadas: 28
. Escolas Estaduais: 30
. Escolas Municipais: 17
. Unidade Municipal de Educação Infantil:
. Unidades de Educação Infantil: 04
. Unidades de Referência Secundárias de Saúde: 02
– Espaço BH Cidadania / Cras: 04
– CREAS: 01
– Conselho Tutelar: 01
Fonte: Prefeitura de Belo Horizonte.