Reformas: cuidados e dicas antes de começar a quebradeira em casa

0
627
Preços da construção civil tiveram queda em julho em relação ao mês anterior

Ana Clara Otoni
Muitas vezes chegar em casa deixa de ser um alívio para quem está cansado das cores das paredes, do azulejo do banheiro, do piso velho da cozinha ou da falta de espaço em um cômodo. A solução para acabar com esse lamento pode ser a reforma da residência – ou de parte dela. Há várias linhas de crédito oferecidas pelos bancos e, muitas, com taxas atrativas. Porém, antes de conseguir um programa assim é preciso que algumas exigências sejam cumpridas em relação ao plano de reforma para quem deseja ter o crédito liberado.

A partir da próxima segunda-feira (21/05), a linha de crédito Construcard, da Caixa Econômica Federal, passará a oferecer financiamentos para a reforma do imóvel por taxa variável de 1,96% a 2,35% ao mês. Antes, o valor da taxa era de 2,40%.

O banco do Bradesco oferece uma carta de crédito para reformas com juros de 3,61% a.m. com o desconto da parcela em débito automático na conta-corrente do cliente. O Bradesco financia até 80% do valor do imóvel, sendo acrescido ao financiamento o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). No Santander, a taxa para o financiamento de reformas é definida com orientação do gerente do banco.

Em todos os financiamentos, alguns critérios devem ser atendidos como, por exemplo, a pessoa física precisa ser cliente da CAIXA, ser maior de 18 anos ou emancipado, além de ser aprovado nas avaliações cadastrais e de risco feitas pelo banco. Para requerer o financiamento junto a qualquer instituição financeira é importante que o morador tenha definido o projeto da reforma com um arquiteto ou engenheiro habilitado. Uma guia de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), por exemplo, que é emitida por um profissional registrado no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), pode ser exigido pelo banco e também pelo síndico do prédio – em casos de reformas em apartamentos. “É importante que o condômino mostre para o síndico o que será feito durante a reforma, seja ela uma pintura até a troca de paredes”, explica o advogado Pedro França de Macedo.

Macedo lembra que o síndico tem poder para exigir que o condômino apresente os desenhos das obras, e guia da ART, visando o bem estar do patrimônio estrutural do prédio. “Caso o síndico entenda que a reforma poderá abalar o prédio, como a sobrecarga em um determinado andar, ele pode exigir detalhamentos do laudo técnico-legal ao proprietário”, explica. O engenheiro civil Éder José Paulo Tavares não avisou o síndico do prédio dele sobre a reforma que faria no banheiro do apartamento, no bairro Santa Rosa, na região da Pampulha. “Embora eu tenha trocado tudo, não mexi na parte hidráulica, por isso não acionei o síndico. Além disso, respeitei o horário do regulamento interno do prédio para execução de obras”, contou.

O advogado Macedo diz que o recomendável é que todo condomínio tenha um regulamento de obras e reformas, no qual deve ser especificado os parâmetros e horários para a realização da reforma e outros detalhes próprios de cada edifício.

Horários e dias para reformas em condomínios devem ser especificados

Por sorte, a formação profissional de Éder permitiu que ele avaliasse todos os riscos da obra. “Minha esposa escolheu toda a decoração e eu avaliei o que era possível ser feito financeiramente e tecnicamente”, explicou. Para realizar a reforma, Éder não precisou recorrer às linhas de crédito. Ele se programou e contratou uma empresa especializada em reforma para executar o trabalho – que durou nove dias e foi feito cumprindo prazo e com liberação de nota fiscal.

Exigências para financiar a reforma do imóvel:
– Projeto da reforma assinado por um profissional registrado no Crea (documento deve especificar o que será feito na obra e o orçamento dos materiais e dos serviços);
– Cronograma da obra deve ser apresentado, já que em alguns casos o dinheiro do financiamento só é repassado de acordo com a entrega de cada etapa da reforma;
– Vistoria do imóvel será feita por parte do banco que, geralmente, financia até 70% do valor do imóvel exigindo o bem como garantia de pagamento;
– Escritura do terreno ou imóvel deve estar em nome do proprietário, sendo que nenhum desses bens deve estar sendo usado como garantia de pagamento em qualquer outro tipo de financiamento.

Vantagens na contratação de empresas especializadas em reformas
Empresas especializadas em reformas são uma verdadeira mão na roda para quem vai fazer uma intervenção em algum cômodo da casa e não quer dor de cabeça com a obra contratada, por exemplo. Isso porque os profissionais que trabalham para essas empresas são qualificados, treinados e inspecionados. “A gente faz uma triagem do currículo dos empregados, garantimos a entrega da reforma no prazo firmado com o cliente e ainda com garantia de qualidade e nota fiscal”, explica Kátia Rezende de Almeida, franqueada da empresa Dr.Resolve, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

A própria ideia da criação da empresa, em 2010, foi pautada a partir de uma demanda do próprio dono, David Pinto. Ele enfrentou uma complicada reforma às vésperas do casamento dele devido à falta de profissionais capacitados. “Foi então que eu pesquisei e notei que o mercado da construção civil sofria com o déficit de mão de obra qualificada. Lancei a marca no mesmo ano e em poucos meses já contava com unidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo”. O engenheiro civil Eder José Paulo Tavares contratou os serviços da franquia da Dr.Resolve da Pampulha o que garantiu, segundo ele, tranquilidade durante todo o processo. “Fiz várias pesquisas com profissionais autônomos, mas descobri que sempre ficava mais caro. Além disso, contratando uma empresa você tem a garantia de qualidade, custo e prazo”, pontua. Ele gastou R$ 1.050 com a contratação da empresa para reformar o banheiro da casa e é categórico ao apontar as vantagens. “Até deixar o local da obra limpo eles deixaram”, comenta.