Quarto de criança: o bebê cresceu. E agora?

0
678
Apostar em uma decoração mais neutra para o quartinho do bebê é uma boa dica das arquitetas. Foto: Rodrigo Marcandier
Apostar em uma decoração mais neutra para o quartinho do bebê é uma boa dica das arquitetas. Foto: Rodrigo Marcandier

Profissionais de arquitetura e decoração dão dicas de como redecorar o quarto de criança quando o bebê cresce. Dá para reaproveitar móveis e cores sem que seja preciso uma grande reforma

A chegada de um bebê vem acompanhada de muita alegria e empolgação. Os pais preparam a decoração do quarto de criança com muito esmero, cuidando de cada detalhe para que fique aconchegante, cheia de ternura e beleza. Mas essa fase passa e, logo, o bebê se torna uma criança. O quarto já não atende mais as necessidades do filho, que está crescendo, e o espaço precisa ser adaptado para essas mudanças. Mas como?  Profissionais de arquitetura e decoração dão dicas importantes.

Apostar em uma decoração mais neutra para o quarto de criança é uma boa dica das arquitetas. Foto: Rodrigo Marcandier
Apostar em uma decoração mais neutra para o quartinho do bebê é uma boa dica das arquitetas. Foto: Rodrigo Marcandier

“O quarto de bebê pode ser projetado para continuar funcional até a adolescência e sofrer o mínimo de alterações ao longo do tempo. Para isso, a decoração deve ser pensada de forma neutra para tornar o cômodo versátil”, esclarecem as arquitetas Luciana Araújo e Nathália Otoni.

E engana-se quem pensa que é necessário fazer uma grande reforma para que o quarto de criança, que antes abrigava um bebê, se adeque à rotina do filho. A designer de interiores Fabiana Visacro ensina como reutilizar alguns móveis: “A bancada do trocador pode virar um local de estudos ao receber cores e efeitos novos. Com massa corrida e tinta colorida cria-se um lindo efeito de pátina. Prateleiras e nichos podem ser transformados em suporte para livros. O berço dá espaço para a cama que pode vir com outra auxiliar acoplada para receber os amiguinhos. O armário do bebê, geralmente branquinho, pode ganhar pecinhas de cristal ao redor dos puxadores para as meninas ou adesivos de super-heróis para os meninos”.

Segundo Fabiana Visacro, a bancada do trocador pode virar um local de estudos ao receber cores e efeitos novos
Segundo Fabiana Visacro, a bancada do trocador pode virar um local de estudos ao receber cores e efeitos novos. Foto: Henrique Queiroga

É possível reaproveitar ainda as cores do quarto. Apostar em tons tradicionais, mas utilizando-o de uma forma mais original pode ser uma excelente saída para não precisar pintar novamente o quarto. “Os tons secos, quando ganham aspecto aveludado, torna o ambiente mais acolhedor e sofisticado. Já cores como o rosa pode ser transformado em nude ou rosê”, aconselha Fabiana.

Leia mais sobre decoração de quarto de criança. 

O mais importante é, antes de projetar o quarto do bebê, pensar no futuro. “Acreditamos que todos os projetos devem ser pensados para ter longa duração. O quarto de bebê é o principal exemplo disto, uma vez que ele cresce muito rápido e todo o mobiliário pode ser perdido. Para minimizar a perda, é interessante projetar o mobiliário para que ele possa ser mantido posteriormente. A melhor forma de fazer isto é pensar em um mobiliário multifuncional”, dizem Luciana e Nathália.