Qual imóvel comprar: novo ou antigo?

0
1325

kenioPara a maioria das pessoas, a compra do imóvel representa um sonho antigo, a realização de um projeto de vida. Neste momento tão importante, uma dúvida muito comum que surge para aqueles que pretendem investir seu capital é se devem adquirir um imóvel novo ou antigo. Tanto um quanto outro apresentam vantagens e desvantagens, que vão desde o tamanho ao preço, passando pela garagem, pela existência ou não de área de lazer. O fato é que é fundamental examinar com muita calma os prós e contras antes de tomar a decisão.

Entre os pontos que determinam a escolha sobre o tipo de imóvel a adquirir, a questão financeira tem enorme relevância, mas não é a única. O mercado imobiliário oferece um grande leque de opções, tanto em relação aos imóveis usados, quanto no que diz respeito à s inúmeras opções e novos modelos de moradia.

O fato é que a sociedade e suas criações, como a arquitetura, evoluíram. Na década de 60, eram poucas as famílias com mais de um veículo e raros os apartamentos com áreas de lazer, quadras, piscina e etc. Nos dias atuais é comum um apartamento de 4 quartos com 3 vagas de garagem e área de lazer com vários equipamentos. Por isso, no momento de fazer a escolha, nada melhor que analisar bem todas as variáveis e, de preferência, com o auxílio de uma assessoria especializada na área imobiliária.

Nos tópicos abaixo são abordadas as vantagens e desvantagens dos imóveis novos e usados.

Valor- Os imóveis usados são vendidos por um valor mais baixo que um novo e essa diferença facilita a aquisição. Há ainda a possibilidade do comprador, com o dinheiro que dispõe, adquirir um imóvel antigo com o tamanho maior que um novo. Mas adquirir de uma construtora um imóvel novo ou em construção é mais fácil parcelar o valor.

Tamanho – Imóveis antigos oferecem, entre suas vantagens, o fato de geralmente possuir cômodos maiores. Isto se deve ao fato das famílias antigamente serem maiores. Os casais tinham mais filhos e pelo costume antigo de se morar em casas, os prédios mais antigos foram construídos com apartamentos mais amplos que os atuais. Para se ter uma idéia, um apartamento de 3 quartos construído entre 1970 e 1980 possuía área interna de 115 a 130 m², enquanto que hoje gira em torno de 75 a 105 m².

Acabamento – Entre as vantagens de se adquirir um apartamento recém-construído, por exemplo, está o fato do acabamento -“ piso, pintura, cerâmicas -, as instalações hidráulicas e a rede elétrica serem novas e, por isso, teoricamente, em perfeito estado e dentro do conceito atualizado de decoração. Já nos imóveis antigos os acabamentos são geralmente desatualizados. A maioria possui tacos ou tábuas corridas, sendo que atualmente é que se utiliza na sala granito ou mármore. O mesmo problema ocorre com os acabamentos dos banheiros, área de serviço e cozinha.

Personalizar – É rara a possibilidade do comprador do imóvel novo escolher os revestimentos dos pisos e paredes no imóvel novo, a não ser se este estiver em construção, mediante entendimentos com o construtor. Mas, sendo comprado um imóvel antigo por preço mais baixo em decorrência de necessitar de reforma, será uma boa oportunidade de se atualizar seu visual de forma a adequar ao seu gosto.

Garantia – O imóvel novo conta com a garantia legal de cinco anos, contra defeitos estruturais e vícios de construção, imposta pelo Código Civil à  Construtora. Já o imóvel antigo não tem garantia, pois o comprador o recebe no estado em que se encontra.

Garagem – Outra vantagem de se adquirir imóveis em condomínios novos é que estes oferecem serviços e uma infra-estrutura maior que os antigos. Um exemplo é o maior número de vagas de garagem por apartamentos – o que não ocorria nos condomínios antigos, onde, devido ao número de carros ser menor, há algumas décadas, muitos nem possuíam garagens. Já em outros, o número de garagens não correspondia ao das unidades, fato esse que motiva conflitos e até ações judiciais, que resultam em desgastes e a mudança daqueles que buscam tranqà¼ilidade. Há prédios novos que possibilitam até a compra de vagas de garagem avulsas, vendidas à  parte para o apartamento onde há várias pessoas possuem carros.

Vizinhança – É importante saber quem serão seus vizinhos. Se o edifício é novo, o comprador não vai saber quem serão seus vizinhos e assim corre maior risco de ter surpresas. Já quem adquire um imóvel antigo pode perfeitamente verificar quem serão seus vizinhos, tendo dessa forma maior condição de avaliar como será sua convivência social. Assim, fatores como vizinhança, estrutura física e disponibilidade financeira se intercalam no momento da importante e prazerosa decisão de se adquirir um imóvel, levando sempre em conta a importância de um auxílio especializado neste momento para que esta escolha não acabe gerando insatisfações futuras.

Lazer – Os novos condomínios oferecerem uma estrutura obviamente mais moderna. Antes este espaço de lazer era limitado nos condomínios à  quadra de esportes e ao salão de festas, depois evoluiu para playground e piscina. Agora, os condomínios mais sofisticados oferecem também: sauna, academia de ginástica (que à s vezes é tão completa que oferece até personal training), espaço gourmet, home theater, piscina com raia e térmica, quadra de tênis, ligação a cabo de internet, circuito interno de tv, e alguns outros serviços semelhantes a apart-hotel.

Negociação  – Outra vantagem de se adquirir um imóvel novo é a maior possibilidade de se negociar o valor. A construtora tem flexibilidade com o pagamento, tem maior poder de negociação. Já o proprietário de um imóvel usado, principalmente por que na maioria das vezes vende seu imóvel para comprar outro, não tem condições de flexibilizar o preço e nem a forma de pagamento a longo prazo. Quanto a possibilidade do comprador dar seu imóvel de menor valor como parte de pagamento de um outro bem maior, e mais fácil viabilizar ocorrer isso com uma construtora, pois essa tem caixa para assumir um estoque de imóveis.

Manutenção – Um imóvel antigo o comprador sabe com segurança quanto será seu custo de manutenção com as taxas de condomínio e IPTU. Já num imóvel novo ou em construção, raramente o comprador saberá com certeza quanto será sua taxa de condomínio e o IPTU. Se o prédio for antigo, poderá ocorrer um custo inesperado com taxas para reformas de elevadores, troca de revestimento de fachada ou até mesmo com rescisões trabalhistas de funcionários.

Kênio de Souza Pereira
Presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-MG

Diretor da Caixa Imobiliária – Rede Netimóveis
Colunista de Direito Imobiliário da Rádio Justiça do Supremo Tribunal Federal  (www.radiojustica.jus.br) toda quarta-feira 09:30h
Consultor Jurídico do SECOVI-MG – Sindicato do Mercado Imobiliário de Minas Gerais Representante em MG da ABAMI – Associação Brasileira de Advogados do Mercado Imobiliário
Conselheiro e Consultor Jurídico da CMI-MG – Câmara de Mercado Imobiliário de MG
Árbitro da CAMINAS – Câmara Mineira de Arbitragem de MG

Presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-MG

Professor do MBA do Mercado Imobiliário da FEAD-MG
e-mail: keniopereira@caixaimobiliaria.com.br – tel.  (31) 3225-5599.

SHARE
Previous articleGlossário Imobiliário
Next articleTrabalhar com prazer e qualidade de vida
Kenio Pereira
Kênio de Souza Pereira Presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-MG Diretor da Caixa Imobiliária Netimóveis – BH-MG Conselheiro da Câmara do Mercado Imobiliário e do SECOVI-MG Representante em MG da Associação Brasileira de Advogados do Mercado Imobiliário Árbitro da Câmara Empresarial de Arbitragem de MG (CAMINAS) e-mail: keniopereira@caixaimobiliaria.com.br – tel. (31) 3225-5599.