Preste atenção no seguro residencial em época de chuva

0
219
Daniela Jersey, da Seguradora Zurich

A incessante busca por segurança tem feito com que a sociedade recorra a equipamentos e serviços que possam proporcionar o mínimo de tranquilidade, como é o caso de cercas elétricas, câmaras de monitoramentos e vigias. Mas, e quando esses equipamentos e serviços não impedem a invasão e furto no seu imóvel? Sua residência está segura quando o assunto são as catástrofes naturais que ocorrem constantemente nesta época do ano, como enchentes e desmoronamentos? Uma boa alternativa de garantia de reposição de bens materiais furtados ou danificados, além de reparos a danos no imóvel, é a contratação de um seguro residencial.
Os seguros apresentam vantagens e preços baixos, mas podemos dizer que a porcentagem de contratação desse tipo de serviço ainda é baixa em comparação a contratação de seguro veicular. Segundo Daniela Jersey, auxiliar administrativa, que trabalha com seguros da Seguradora  Zurich há cerca de 10 anos, a diferença na contratação de seguro veicular e residencial pode ser atribuído ao fato das pessoas acharem que o veículo, por não estar em lugar fixo, corre mais riscos que o imóvel, que fica “quietinho” no mesmo lugar e, consequentemente, a probabilidade de ocorrer um dano é menor. Outro fator que influencia é a falta de divulgação das vantagens e preços oferecidos pelas seguradoras.
Quem opta por contratar um seguro residencial, muitas vezes faz a escolha depois de ter algum dano ou furto em casa. Outros fazem  para ter garantia da estrutura, como é o caso da funcionária pública Rita de Cássia de Moura Junqueira. “Optei fazer o seguro para ter segurança para mim, para os meus valores lá em casa. Quando eu fiz o seguro pela primeira vez  foi porque entraram em minha casa. Mesmo tendo esquema de segurança, entratram. Hoje, é mais questão da alvenaria mesmo. Como meu imóvel é quitado, ele estava descoberto de seguro, principalmente contra incêndio”, afirma Rita.
O valor da proteção básica de um imóvel pode variar de R$150,00 a R$400,00 por ano. Esse preço é definido não pela área do terreno, como muitos pensam, mas pela soma dos serviços contratados. Cada serviço tem uma taxa definida pela seguradora, por exemplo, as coberturas de incêndio, raio e explosão: se for contratado para o valor de valor R$ 200 mil para essa cobertura, serão assegurados a edificação e o conteúdo.  O cliente é quem define a verba para cobrir o valor da edificação e a verba que cobrirá o conteúdo, que são os móveis, os utensílios e eletrodomésticos.
Dos vários tipos de seguros (vendaval, danos elétricos, vidros e roubo), a  cobertura mais cara é a de roubo. Já a cobertura de incêndio, raio e explosão é a mais barata, devido à baixa porcentagem de incidentes. O cálculo para esse tipo de cobertura é baseado no valor de reconstrução do metro quadrado, que é relativo à mão de obra e custo com material. Outro cálculo muito utilizado é a cobertura do valor de venda do imóvel que, de acordo com Daniela Jersey, não é o mais indicado. “Quando acontece uma ocorrência de sinistro por incêndio, por exemplo, você não vai perder toda a estrutura, a base do imóvel. Então a seguradora vai fazer a vistoria e vai calcular a reconstrução do imóvel. Muitas vezes o valor fica abaixo daquele valor que você contratou”, afirma.
Outro fator que contribui no valor final da contratação do seguro é o tipo de imóvel. Geralmente, o custo do seguro de casa fica mais alto que o custo de apartamento. Isso ocorre porque se pensa que casas são mais vulneráveis que apartamentos. “Prédios de apartamentos são vários moradores, o  acesso é mais difícil, às vezes têm porteiros… isso dificuta a entrada de ladrão”, diz  Daniela.
A localização do imóvel não influencia no custo do seguro. Os imóveis que são localizados em áreas de risco de inundação ou assalto não vão influenciar no preço do seguro. Em casos assim, o cliente é quem deve contratar a cobertura específica para cada caso. Alguns seguros residenciais oferecem também seguro de vida por bala perdida, mas geralmente, não há muita contratação, porque as pessoas têm seguro de vida.