Moradores faz empresa desistir de administrar hotel em BH

0
471

A pressão popular de moradores da região falou mais alto e a Administradora Atlântica Hotel Internacional desistiu de administrar um dos hotéis que estão sendo construídos na Orla da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. A informação foi passada à imprensa em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, (03/04). A empresa é dona da marca Go Inn.
O diretor de Desenvolvimento da Atlântica Hotel Internacional, Matheus Cabal, afirmou que a empresa assinou em 2011 uma carta de intenções para participar da construção dos prédios, mas o negócio não foi concretizado. A Atlântica afirma que a desistência foi motivada pela pressão popular e que a empresa não concorda com empreendimentos em áreas desaprovadas pela comunidade.
A Atlântica divulgou uma nota em que afirma que a “iniciativa estava amparada em estudos de viabilidade que apontavam para o desenvolvimento de um hotel” mas, no segundo semestre do ano passado, “notícias confirmaram dificuldades na aprovação do projeto, que se agravaram com a manifestação pública contrária ao projeto”.
Os dois hotéis estão sendo construídos na avenida Alfredo Camarate, na Pampulha. Com a desistência da Go Inn, a Brisa Empreendimentos Imobiliários, responsável pela construção do hotel, terá que buscar outra administradora.
A construção de hotéis na Orla da Lagoa da Pampulha foi permitida pelo Conselho Municipal de Política Urbana (Compur). A decisão foi baseada na mudança da Área e Diretrizes Especiais (ADE) e também nas leis 9.952, conhecida como Lei da Copa, e 9.959, que revisou a Lei de Parcelamento, Ocupação e Uso do Solo de Belo Horizonte, aprovadas em 2010.
A autorização foi questionada na justiça pelo Ministério Público Estadual, mas o juiz Alyrio Ramos, da 3ª Vara da Fazenda Pública Municipal, indeferiu a ação do MPE e autorizou a continuidade da construção dos dois hotéis na Orla da Lagoa da Pampulha.