Preços de imóveis residenciais ficam estáveis em fevereiro

0
499
O comportamento dos preços de imóveis residenciais não foi homogêneo entre as cidades monitoradas pelo Índice FipeZap
O comportamento dos preços de imóveis residenciais não foi homogêneo entre as cidades monitoradas pelo Índice FipeZap
 Os preços de imóveis tiveram variação de -0,05% no mês. Nos últimos 12 meses, queda se acentua para -0,72% 

Os preços de imóveis residenciais para venda ficaram estáveis em fevereiro, segundo o  Índice FipeZap – que acompanha o preço de venda de imóveis residenciais em 20 cidades brasileiras. O índice  registrou nova estabilidade em fevereiro de 2018 (-0,05%). Considerando-se a inflação esperada de 0,33% para fevereiro, de acordo o Boletim Focus do Banco Central, o Índice FipeZap encerrou o segundo mês de 2018 com queda real no preço de venda de imóveis residenciais (-0,38%).

O comportamento dos preços de imóveis residenciais não foi homogêneo entre as cidades monitoradas pelo Índice FipeZap. Avaliadas individualmente, 8 das 20 cidades pesquisadas apresentaram queda nominal no preço médio, com destaque para Belo Horizonte (-0,41%), Niterói (-0,37%) e Distrito Federal (-0,36%). Já entre as 12 cidades que registraram aumento de preço no período, as maiores variações foram observadas em São Caetano do Sul (+0,56%), Vila Velha (+0,51%) e Florianópolis (+0,34%).

Últimos 12 meses

Considerando os últimos 12 meses, o Índice FipeZap aponta recuo (-0,72%) no preço de imóveis residenciais. Nesse intervalo de tempo, 9 das 20 cidades pesquisadas acumulam queda nominal no preço de venda, destacando-se: Rio de Janeiro (-4,99%), Distrito Federal (-2.67%) e Niterói (-2,65%). Por outro lado, entre as cidades que acumulam alta no preço médio de venda, apenas em Florianópolis (+5,01%) a variação observada superou a inflação acumulada no período (+2,87%). Com o resultado, o preço médio de venda de imóveis residenciais nas 20 cidades analisadas acumula queda real de 3,48% nos últimos 12 meses.

Em fevereiro de 2018, o valor médio de venda dos imóveis residenciais nas 20 cidades monitoradas foi de R$ 7.549/m2. Rio de Janeiro se manteve como a cidade com o m2 mais caro do país (R$ 9.686/m2), seguida por São Paulo (R$ 8.703/m2) e Distrito Federal (R$ 7.814/m2). Já as cidades com menor valor médio por m2 foram Contagem (R$ 3.510/m2), Goiânia (R$ 4.113/m2) e Vila Velha (R$ 4.674/m2). Veja gráfico abaixo.