Preços de apartamentos subiram 19,6% em Belo Horizonte em 2012

0
369
Inadimplência em condomínios cresce em BH e São Paulo
Inadimplência em condomínios de Belo Horizonte foi de 9,25% em 2012. Foto: Adão Ventura

Tendência é de que imóvel continue valorizando acima da inflação

Nos nove primeiros meses de 2012, o valor médio dos apartamentos na capital mineira é de R$ 369.253,58. O valor do principal tipo imobiliário, que representa 73,12% do total de imóveis comercializados no ano, é 19,6% maior que a média apurada no ano passado: R$ 308.832,54. Esses dados são da pesquisa realizada pela Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG) e Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas da UFMG (Ipead). O levantamento foi feito com base nas emissões do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) de janeiro a setembro de 2012.

Nesse período, o mercado imobiliário de Belo Horizonte movimentou, em vendas totais de imóveis residenciais e comerciais prontos, cerca de R$ 6,96 bilhões. O valor representa um aumento de 6,58% em comparação ao mesmo período de 2011, quando o mercado movimentou R$ 6,53 bilhões. De janeiro a setembro de 2012, foram registradas 19.972 transações, o que totalizou aproximadamente 2,9 milhões de metros quadrados de área negociada.

O presidente da CMI/Secovi-MG, Evandro Negrão de Lima Jr., diz que os preços de imóveis vão continuar em alta na capital mineira

Em setembro, o preço médio dos apartamentos chegou a R$ 387.814,90 na capital mineira. Esse valor é 308,3% superior ao valor médio de apartamentos em 2004 (R$ 94.972). O presidente da CMI/Secovi-MG, Evandro Negrão de Lima Jr., destaca que, em setembro, o número de apartamentos registrados superou o volume registrado no mesmo mês no ano passado. “Isso demonstra uma retomada da velocidade dos negócios imobiliários na capital”, avalia.

Segundo ele, as perspectivas para o mercado imobiliário em Belo Horizonte e Região Metropolitana são muito positivas. “Devemos continuar a assistir à valorização dos imóveis como resposta ao crescimento da demanda, impulsionada por fatores como ampliação das concessões de crédito e queda nas taxas de juros”, afirma. Apartamentos geraram, nos nove primeiros meses de 2012, negócios da ordem de R$ 5,1 bilhões, totalizando área transacionada de aproximadamente 1,74 milhão de metros quadrados.

De janeiro a setembro, foram registrados 13.795 apartamentos e 2.218 casas em Belo Horizonte, o que representou 80,17% do valor total de imóveis comercializados na cidade (barracões, vagas residenciais e comerciais, salas, lojas, lotes vagos e galpões, além de apartamentos e casas). Em terceiro lugar no ranking de vendas, ficaram as salas, com 1.213 negócios. Na sequência, aparecem os lotes (1.004 transações), vagas comerciais (613), lojas (442), vagas residenciais (330), barracões (232) e galpões (125).

 

Transações com apartamentos

Aumento nos preços de apartamentos em BH de 2004 a 2012.

Participação de cada tipo de imóvel no valor das transações de janeiro a setembro de 2012