Preço de apartamentos em BH subiu 8,53% em 2014

0
611
Pesquisa do Secovi/MG mostra que os preços de apartamentos em BH subiram 8,53% em 2014
Pesquisa do Secovi/MG mostra que os preços de apartamentos em BH subiram 8,53% em 2014
Pesquisa com base na arrecadação do ITBI mostra que o valor médio dos apartamentos em BH subiu 8,53% na capital mineira: de R$ 407.173,62, em 2013, para R$ 441.899,05 em 2014

Em 2014, foram comercializados 19.924 novos apartamentos em BH, o que representou uma média de 1.660 transações por mês. Comparado com 2013, quando foram negociadas 20.466 unidades, o número é 2,64% inferior. Já o valor médio das unidades saltou de R$ 407.173,62, em 2013, para R$

441.899,05 em 2014: alta de 8,53%, segundo  levantamento da Câmara do Mercado Imobiliário (CMI/Secovi-MG) e do Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas da UFMG (Ipead), com base nas emissões do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI).

De acordo com o presidente da CMI/Secovi-MG, Otimar Bicalho, cerca de 75% dos apartamentos que são negociados na cidade correspondem a imóveis usados. O valor total dos negócios realizados no ano passado com apartamentos chegou a R$ 8,804 bilhões contra R$ 8,333 bilhões em 2013 (aumento de 5,65%). Já o valor médio das unidades subiu 8,53%

Em relação ao padrão de construção, a categoria “Normal” representou, em dezembro do ano passado, mais da metade dos negócios realizados (827 negócios), seguida do “Alto” (350 negócios), “Baixo” (246 negócios) e “Luxo” (75 negócios). Quanto à classificação dos bairros dos apartamentos mais vendidos em Belo Horizonte no mês de dezembro de 2014, a pesquisa aponta que o padrão “Popular” foi o que teve mais vendas (525); em segundo lugar, o “Alto” (415) e, na sequência,”Luxo” (296) e “Médio” (274).

Imóveis prontos

Segundo o levantamento, o mercado imobiliário em Belo Horizonte movimentou, entre todos os tipos de imóveis prontos negociados (imóveis residenciais, comerciais e lotes vagos), aproximadamente R$ 11,725 bilhões de janeiro a dezembro de 2014, com 27.419 imóveis comercializados. No ano anterior, o número de imóveis comercializados foi de 28.110, o que movimentou cerca de R$ 11,203 bilhões.