Preço de aluguel residencial cai em BH

0
657

grafico quedaO valor do aluguel residencial, em Belo Horizonte, registrou uma elevação de 0,71%, em abril, na comparação com o mês anterior. O índice é inferior à  inflação calculada, no período, para a capital pelo IPCA/Ipead, que ficou em 0,84%. No acumulado dos últimos 12 meses, no entanto, quando a inflação acumulada foi de 6,95%, o aumento dos preços chegou a 11,64%. Os dados são da pesquisa realizada mensalmente pela CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais) e pelo Ipead (Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas) da UFMG, divulgada nesta quinta-feira (12/05).

No mês passado, para os apartamentos, a taxa média de valorização foi de 1,02%; o aluguel de barracões subiu 0,71% e o de casas apresentou queda de 1,36%. Consideradas as classes de bairro, o aluguel residencial de apartamentos variou 1,14% nos bairros populares; 1,08% nos bairros de luxo; 1,06% nos bairros médios; e 0,87% em bairros de alto padrão.

A oferta de imóveis residenciais, na capital, em abril, apresentou queda de 0,42%, taxa influenciada, principalmente, pela redução da disponibilidade de apartamentos, de 1,39%, e de barracões, de 3,5%. As casas apresentaram, no mês, crescimento de 5,8% na oferta. Nos 12 meses completados em abril, a oferta registra retração de 1,19%.

Aluguel comercial sobe 0,9%, em abril e oferta de unidades cresce 7,5%

O aluguel comercial, em Belo Horizonte, registrou alta de 0,90% em abril e acumula alta de 14,37% nos últimos 12 meses. No mês passado, o valor do aluguel de salas apresentou o maior reajuste, de 1,30%; os galpões subiram 1,07%; os andares corridos, 0,92%; as casas comerciais, 0,76%; e as lojas, 0,72%.

A oferta de imóveis comerciais aumentou 7,5% na capital, em abril, na comparação com o volume disponível no mês anterior. Os andares corridos apresentaram o maior crescimento de oferta, de 12,56%, seguidos pelas salas, com elevação de 13,66% no número de unidades disponíveis, e lojas, com alta de 9,69%. No período, apresentaram queda de oferta, as casas comerciais, de 3%, e os galpões, de 3,64%. Nos 12 meses completados em abril, a oferta de imóveis comerciais cresceu 0,91%.