Preço de aluguel em São Paulo sobe 8,5% em 12 meses

0
278
Aluguel em São Paulo subiu menos que o IGP-M em 2014, segundo o Secovi-SP
Aluguel em São Paulo subiu menos que o IGP-M em 2014, segundo o Secovi-SP

Aumento médio do aluguel residencial foi superior ao IGP-M e o IPCA

A pesquisa mensal de locação do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) indica que o valor dos contratos de locação residencial fechados em fevereiro na cidade de São Paulo esteve em linha com os valores praticados no mês anterior. Já no acumulado dos últimos 12 meses, houve um aumento médio de 8,5%, superior, portanto, à variação ocorrida tanto no IGP-M (de 5,76%) quanto no IPCA (5,68%) do período (março de 2013 a fevereiro de 2014).

Aluguéis residenciais em São Paulo subiram mais que o IGP-M em 12 meses. Foto: sampaonline.com.br
Aluguéis residenciais em São Paulo subiram mais que o IGP-M em 12 meses. Foto: sampaonline.com.br

“Em fevereiro, a diferença entre a variação acumulada do aluguel e o IGP-M atingiu 2,7 pontos percentuais, o menor nível desde junho do ano passado (2,1 pontos percentuais)”, diz Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP.

O aluguel dos imóveis de 1 quarto apresentou queda média de 0,2% em fevereiro, na comparação com o mês anterior, enquanto o valor das unidades de 3 dormitórios registrou acréscimo de 0,2%. O valor de locação de imóveis de 2 quartos permaneceu inalterado.

O fiador foi a modalidade de garantia mais frequente em fevereiro, com uma participação de 47%. O depósito de três meses de aluguel foi utilizado em um terço dos contratos locatícios. O seguro-fiança foi o tipo de garantia em um quinto dos imóveis locados.

Em fevereiro, as casas continuaram sendo alugadas mais rapidamente. Elas escoaram em um prazo médio de 15 a 36 dias. Já nos apartamentos, o IVL (Índice de Velocidade de Locação), que mede em número de dias quanto tempo se espera até que se assine o contrato de aluguel, oscilou de 19 a 40 dias.

Fonte: Secovi-SP.