Oferta de imóveis em Belo Horizonte tem crescimento expressivo em abril

0
243
IGP-M, que reajusta os aluguéis, e o INCC, da construção civil, tiveram alta em maio

A oferta de imóveis em Belo Horizonte, na categorias residencial, apresentou expressiva alta de 7,66% em abril, na comparação com o mês anterior. A taxa foi influenciada, principalmente, pelo aumento da disponibilidade de apartamentos (8,82%) e de barracões (27,78%). As casas apresentaram, no mês, redução de 2,69% na oferta. Nos 12 meses completados em abril, a oferta registra alta de 23,62%. Os dados são da pesquisa realizada mensalmente pela CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais) e pelo Ipead (Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas) da UFMG, divulgada nesta segunda-feira (21/05).

No mês, o valor do aluguel residencial registrou elevação de 0,38%, na comparação com março. O índice é superior à inflação calculada, no período, para a capital pelo IPCA/Ipead, que ficou em 0,34%. Nos últimos 12 meses, quando a inflação acumulada foi de 5,89%, o aumento dos preços chegou a 9,25%.
Em abril, para os apartamentos, a taxa média de valorização foi de 0,32%; o aluguel de barracões subiu 1,12% e o de casas, 0,75%. Consideradas as classes de bairro, o aluguel residencial de apartamentos variou 0,07% nos bairros populares; 0,27% nos bairros médios; 0,24% em bairros de alto padrão; e 0,42% nos bairros de luxo.

Aluguel comercial sobe 0,44%
O aluguel comercial, em Belo Horizonte, registrou alta de 0,44% em abril e acumula alta de 11,79% nos últimos 12 meses. No mês passado, o valor do aluguel de galpões apresentou o maior reajuste, de 0,80%; as salas subiram 0,76%; os andares corridos, 0,72%; as casas comerciais, 0,04%; e as lojas, 0,40%.

A oferta de imóveis comerciais aumentou 10,58% na capital, em abril, na comparação com o volume disponível no mês anterior. As casas comerciais apresentaram o maior crescimento de oferta, de 22,46%, seguidos pelas lojas, com elevação de 20,45% no número de unidades disponíveis; galpões, com alta de 6,09%; e salas, com alta de 1,18%. No período, apresentaram queda de oferta os andares corridos, com redução de 2,46%. Nos 12 meses completados em abril, a oferta de imóveis comerciais cresceu 16,57%.