Novas florestas cada vez mais verticais

0
655
Vista da Região Nordeste de Belo Horizonte

Gustavo Lameira

Os bairros Nova Floresta e Silveira estão entre os mais valorizados da região nordeste de Belo Horizonte. São vizinhos, muitos até confundem seus limites; têm a mesma origem, mas são diferentes em desenvolvimento e perfil de moradores. No entanto, a verticalização é um ponto forte e em comum. São novas florestas cada vez mais verticais.

Nova Floresta e Silveira faziam parte das Fazendas São João Batista (sua sede ficava onde está o Minas Shopping) e Retiro do Sagrado Coração de Jesus — esta, de propriedade da família Silveira. Os mais antigos contam da autossuficiência da fazenda, por conta da agricultura e pecuária vastas em suas terras. A Avenida José Candido da Silveira é uma homenagem ao patriarca dessa família.

A verticalização avança nos bairros Silveira e Nova Floresta
A verticalização avança nos bairros Silveira e Nova Floresta

Nova Floresta

Faculdade Universo, que funciona na antiga fábrica de tecidos Renascença

Começou como um bairro operário, nos anos de 1930, a partir da instalação da Fábrica têxtil do Renascença, em plena industrialização da cidade. Atualmente, a ocupação de seus moradores é variada, com muitos já aposentados. Três importantes instituições de ensino estão no bairro: A Universidade Salgado de Oliveira (Universo), onde funcionava a antiga fábrica de tecidos; o Colégio São Miguel Arcanjo, e o Magnum Agostiniano, além das escolas públicas Ana de Carvalho, e Carlos Lacerda. De acordo com o diretor da Associação Comunitária dos bairros Nova Floresta e Silveira e coordenador da Comissão Linha Verde Humana, Waldemar Filho, cerca 12 mil estudantes transitam pela região; número superior à soma da população residente nos dois bairros (de 10.296 moradores, conforme Censo 2010).

Diretor da Associação Comunitária dos bairros Nova Floresta e Silveira, Waldemar Filho

— Por conta desse movimento, a segurança fica comprometida: a gente não sabe quem é e quem não é daqui. Os carros também passam em alta velocidade. Até contamos com a Rede de Vizinhos Protegidos, mas não é suficiente. Também precisamos de mais linhas de ônibus exclusivas; temos apenas o 8103 (Nova Floresta/Santa Lúcia).

Igreja

Ainda segundo o representante, o Santuário de São Judas Tadeu (bairro da Graça) altera bastante a rotina do bairro, em número de veículos e pessoas, principalmente no 28° dia de cada mês, quando o Santo das Causas Impossíveis é homenageado. Mas uma das coisas boas da Nova Floresta é sua vizinhança. “Aqui ainda tem aquele clima de interior, sabe? As pessoas se sentam na calçada, frequentam os bares, a casa umas das outras, fazem festas, daquele tipo ‘cada um leva uma coisa”, conta Waldemar.

Para recreação e prática de esportes, os moradores têm a Praça Ismael de Oliveira Fábregas (Praça do Bowl), recentemente reformada, além do vizinho Minas Shopping, no Bairro União. As principais ruas do bairro são a Jacuí (parte baixa), e a São Gonçalo (parte alta e limite com o Silveira), onde estão concentrados o comércio e a prestação de serviços. As casas ainda são maioria na Nova Floresta, apesar da crescente verticalização.

Vida de condomínio nas novas florestas verticais

Já o Silveira foi criado em meados dos anos 1960, na mesma época da Cidade Nova, mas sua expansão só aconteceu a partir da década de 1990. Definido pelo Plano Diretor do município como Zona de Adensamento Preferencial (ZAP), por apresentar condições favoráveis de infraestrutura e de topografia, o bairro é totalmente verticalizado. A verticalização, quando feita ordenadamente, busca reunir numa mesma região prédios residenciais, comerciais, prestação de serviço e lazer; diminuindo assim o tempo de deslocamento, melhorando o trânsito e a qualidade de vida.

O produtor artístico Luciano Mafra, 32 anos, mora no bairro há três anos e está satisfeito com a região

O produtor artístico Luciano Mafra, 32 anos, mora no bairro há três anos. Hoje, não quer sair de lá. “Na época da entrega do apartamento, a construtora deixou a gente escolher entre este e outro, na região oeste, mas não tivemos dúvida… Localização: estamos a cinco minutos do centro”, pontuou.

Perfil variado

O Silveira é um bairro de classe média alta e perfil variado: está cheio de primeiros moradores e casais novos, famílias maiores, solteiros, idosos. No entanto, Luciano considera a qualidade de moradia, comércio e serviços similares aos da zona sul (onde cresceu) — “e com preços melhores”. Seu apartamento (de quatro quartos) fica num condomínio com piscina, sauna, quadra de esportes, espaços gourmet e fitness, garagem e portaria 24h, por uma taxa de condomínio de R$ 380. O prédio fica na Ilacir Pereira Lima, rua paralela à Avenida Cristiano Machado e principal centro comercial do bairro.

— Na porta de casa eu tenho padaria, supermercado, drogaria, restaurantes, fast foods, sacolão, academias, tem um banco aqui do lado e uma rede bancária na Cristiano Machado, hotel, ponto de táxi. Até quando fui trocar meu carro, facilitou a pesquisa… Tem uma porção de agências e concessionárias aqui.

Sua reclamação é sobre o barulho e a poeira das obras do BRT, bem em frente à sua janela. De acordo com a administração Nordeste, a previsão é de que o transporte esteja operando no segundo semestre de 2013.

Valorizado pela educação
O Colégio Magnum é um dos atrativos da região
O Colégio Magnum é um dos atrativos da região

Segundo Cláudio Silveira (Rede IMVISTA), a proximidade com o bairro Cidade Nova já foi um fator de valorização para o Silveira e Nova Floresta. Hoje, porém, são os colégios (São Miguel Arcanjo e Magnum) os principais atrativos. “Um apartamento de três quartos, no Silveira e Nova Floresta varia de R$ 450 a 550 mil para compra. O aluguel do mesmo imóvel fica em torno de 1.500”. De acordo com a imobiliária, os poucos lotes que restam no bairro pertencem à família Silveira, que não tem interesse pela venda.

Seu Edilson Rocha mora na região há 55 anos. Sua casa resiste entre os prédios, mas não por falta de oferta.

— Já recebi quatro, mas todas muito abaixo do valor de mercado. Minha mulher até prefere um apartamento, mas eu não saio daqui; já me acostumei, conheço todo mundo; estou perto da igreja de São Judas Tadeu. Como diz meu compadre: ‘se me queixo é de burro’.

Aumento da criminalidade

Para o representante da comunidade, os muros altos dos condomínios, a falta de casas e de uma vizinhança que se reconheça contribuem para o aumento da criminalidade. “Mesmo com todo aparato de segurança, acontecem os assaltos a pedestres, roubos de carros. Não tem ninguém nas ruas, os moradores saem cedo e voltam à noite. E população do bairro cresceu muito. Nos últimos cinco anos foram construídos aproximadamente 600 apartamentos só no Silveira. Fica difícil mobilizar as pessoas”, explica Waldemar.

Entrada do Parque Orlando de Carvalho Silveira

Via Associação Comunitária e Comissão Linha Verde, o Silveira foi beneficiado com a alça que liga o viaduto da Avenida José Cândido da Silveira à Rua Biagio Polizzi, e com a reforma do Parque Orlando de Carvalho Silveira (Morro do bolo). O local tem pista de Cooper, academia ao ar livre, muito verde e uma vista privilegiada de boa parte da região Nordeste. E não custa lembrar que basta atravessar a Avenida Cristiano Machado para usufruir de toda a infraestrutura da Cidade Nova, que fica em frente.