Móveis dois em um e suas vantagens na decoração

0
343
​Ao invés de usar vários pequenos móveis para compor o quarto, a designer Laura Santos optou por um único móvel que faz as vezes de bancada de estudo e criado proporcionando mais organização. Foto: Henrique Queiroga
​Ao invés de usar vários pequenos móveis para compor o quarto, a designer Laura Santos optou por um único móvel que faz as vezes de bancada de estudo e criado proporcionando mais organização. Foto: Henrique Queiroga
Com apartamentos cada vez menores, é importante saber otimizar os espaços e móveis. A marcenaria multifuncional facilita na hora de compor os ambientes sem sobrecarregá-los

Móveis que cumprem mais de uma função vêm ganhando adeptos no décor por sua praticidade e economia, com a  tendência imobiliária atual de apartamentos cada vez menores. Assim, é preciso que o morador saiba como otimizar os espaços dentro de cada ambiente para que não haja uma sobrecarga e uma impressão de desorganização. Para isso, o uso da marcenaria multifuncional é uma excelente pedida para a decoração de espaços mais compactos, sem deixar o charme, a beleza e a organização de lado.

De acordo com a arquiteta e designer Simone Rocha, nestes ambientes reduzidos é desejável que um mesmo móvel proporcione um bom aproveitamento de espaços, como em seu projeto para o quarto de duas meninas. “Como o quarto é pequeno, o painel foi projeto para dar uniformidade entre os três elementos que precisávamos dispor (duas camas e uma bancada), garantindo um visual mais contínuo e longilíneo, de forma a fazer com que o ambiente pareça maior. Além disso, ele faz a função de criado mudo às duas camas, permitindo que as meninas apoiem copo, livro e celular. A laca branca foi escolhida para deixar o móvel com visual leve (apesar de suas grandes dimensões) e destacar a pintura colorida da parede”, conta.

Projeto da arquiteta Simone Rocha: um mesmo móvel serve de criado, cabeceira de cama e também bancada de estudo. Foto: Rodrigo Marcandier
Projeto da arquiteta Simone Rocha: um mesmo móvel serve de criado, cabeceira de cama e também bancada de estudo. Foto: Rodrigo Marcandier
Diversas funções

Simone destaca que o projeto conseguiu agregar diversas funções em um mesmo mobiliário (criado-mudo, prateleira e bancada de estudos), sem ocupar muito espaço dentro do ambiente e, além disso, foi executado de uma forma que garanta um aproveitamento futuro dos móveis em outro espaço, quando necessário. “Como a cliente demonstrava interesse em mudar de apartamento a curto / médio prazo, ela solicitou um móvel que não fosse sob medida e que depois não pudesse ser aproveitado. Pensando nisso, o projeto considerou duas juntas que dividem o painel em três peças: a ideia é que, futuramente, caso seja necessário, a cliente consiga utilizar o mesmo móvel ajustando apenas as medidas do módulo central, já que as periféricas acompanham a largura das camas”, explica.

Mais fácil 

Para a designer de interiores Laura Santos, este tipo de marcenaria dois em um facilita para o cliente, pois ele economiza em espaço, diminuindo a ocupação dentro do ambiente, além de ser um mobiliário mais fácil de ser executado. Em seu projeto para o quarto de um jovem, a profissional criou uma bancada que se estende até se tornar um criado. “Como o espaço do quarto é um tamanho médio, pensamos em criar esse móvel que pode ser usado como criado e também como gaveta e, com isso, você não fica com diversos móveis separados e pequenos ocupando espaço. Criamos um móvel maior, que integra mais e dá a sensação de amplitude, deixando o ambiente mais organizado.

Normalmente, quarto de jovem tende a ser bagunçado, com muitos elementos visuais.  Com esse móvel você consegue essa organização da unidade visual”, explica.

Laura também cita outras formas de usar a marcenaria dois em um: “Um bom exemplo são as camas tipo beliche, mas que embaixo possuem uma bancada. Ou o armário, que pode ser feito junto a uma bancada ou o painel para televisão, com uma prateleira para guardar livros e outros objetos”, sugere.

E Simone Rocha acrescenta outros exemplos: “Um criado-mudo pode ser utilizado como penteadeira, assim como sofá-cama que recebe hóspedes. Outro bom exemplo, é bancada de desenho para crianças menores, que com uma simples regulagem de altura, se adequa à medida que a criança cresce e entra na fase de estudos! Em vez do uso da típica cômoda em quarto de bebê como trocador, uma bancada chumbada na parede também pode ser mais versátil, pois se transforma em local de estudo futuramente”, encerra.