Minha Casa, Minha Vida: governo pagará obras

0
364
Terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida deve ser lançada este ano. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida deve ser lançada este ano. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O governo federal vai acelerar o pagamento das obras do Programa Minha Casa, Minha Vida e contratar as que já foram acordadas com movimentos sociais do campo e da cidade. A promessa foi feita às entidades que participaram de reunião no Palácio do Planalto, nesta semana, com ministros e a presidente da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior. A Caixa é responsável pelos financiamentos do programa.

Terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida deve ser lançada este ano. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida deve ser lançada este ano. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

De acordo com assessores dos ministérios do Planejamento e da Secretaria-Geral da Presidência, a terceira fase do programa habitacional está sendo discutida em reuniões setoriais com representantes dos movimentos sociais e da construção civil e deve ser lançada ainda neste ano. “Nos próximos 15 dias, o governo vai agilizar o fluxo de pagamento das obras em andamento, contratar o que foi acordado com os movimentos no ano passado e continuar as discussões da terceira fase do programa com os movimentos sociais”, informou, em nota, o governo.

Participaram da reunião representantes de 12 entidades urbanas e do campo, como Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Central dos Movimentos Populares, Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

Conforme a nota, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse aos líderes presentes ao encontro que o governo vai “saldar os compromissos e liberar os recursos necessários”. Além de Barbosa, participaram da reunião os ministros das Cidades, Gilberto Kassab, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto.

Fonte: Agência Brasil.