Mercado imobiliário melhora um pouco no 2º trimestre

0
600
As condições gerais do mercado imobiliário melhoraram no segundo trimestre de 2017, com nota média de 3,5 na escala entre 0 e 10
As condições gerais do mercado imobiliário melhoraram no segundo trimestre de 2017, com nota média de 3,5 na escala entre 0 e 10
Radar Abrainc-Fipe mostra que resultados do segundo trimestre de 2017 reforçam trajetória de recuperação do mercado imobiliário

O Mercado imobiliário melhorou um pouco no segundo trimestre do ano, de acordo com informações do Radar Abrainc-Fipe, feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe),encomendado pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).  Apesar disso, questões relacionadas à demanda e oferta de crédito ainda impõem desafios relevantes ao setor

Segundo informações do Radar Abrainc-Fipe, as condições gerais do mercado imobiliário melhoraram no segundo trimestre de 2017, com nota média de 3,5 na escala entre 0 (menos favorável) a 10 (mais favorável). O resultado evidencia um avanço de 0,6 ponto no comparativo com o primeiro trimestre (março/2017); avanço de 0,9 ponto frente à nota geral em dezembro/2016; e avanço de 0,7 ponto na comparação com a pontuação registrada em junho/2017.  Veja abaixo.

O resultado oferece novos sinais de recuperação do mercado, iniciada ao final de 2016, com destaque para as melhorias observadas no ambiente macro (atividade econômica, confiança e juros) e crédito imobiliário (condições de financiamento e concessões reais).

Uma melhora significativa do quadro atual, entretanto, ainda passa pela superação de desafios importantes, como a redução da taxa de desemprego e a ampliação da massa salarial (com impactos sensíveis sobre a demanda pro imóveis). Finalmente, há espaço significativo para ampliar as condições de crédito e facilitar o financiamento imobiliário.

O Radar-Abrainc-FipeA queda na taxa de juros da economia não tem sido acompanhada por uma queda proporcional na taxa de juros do financiamento imobiliário, eduzindo a sua atratividade

IBGE aponta queda

Segundo o IBGE,  houve queda de 2,0% na construção civil e de 1,3% na atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana., no segundo trimestre. A extrativa mineral variou 0,4% e a indústria de transformação manteve-se praticamente estável (0,1%).

Ainda de acordo com o IBGE, atividades imobiliárias cresceram 0,8% no Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre de 2017