Mercado imobiliário em São Paulo cresce no semestre

0
345
No primeiro semestre deste ano, foram comercializadas 7.888 unidades no mercado imobiliário em São Paulo. Foto: bixabay.com
No primeiro semestre deste ano, foram comercializadas 7.888 unidades no mercado imobiliário em São Paulo. Foto: bixabay.com
Pesquisa do mercado imobiliário em São Paulo do Secovi-SP registra aumento de lançamentos e vendas de imóveis novos

O mercado imobiliário em São Paulo cresceu 9,6% no primeiro semestre de 2017, segundo a Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). No primeiro semestre deste ano, foram comercializadas 7.888 unidades, representando aumento de 9,6% em relação ao mesmo período de 2016, quando as vendas totalizaram 7.194 unidades.

Em junho, teve  a comercialização de 1.853 unidades residenciais novas. O volume é 14,6% inferior ao total vendido em maio (2.170 unidades) e 11,6% abaixo do resultado de junho de 2016, quando foram comercializadas 2.097 unidades.

De acordo com dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), foram lançadas na cidade de São Paulo em junho 1.502 unidades novas residenciais, volume 34,7% inferior ao resultado de maio (2.300 unidades) e 31,0% abaixo dos lançamentos de junho de 2016 (2.178 unidades). No acumulado do semestre, foram lançadas 6.547 unidades residenciais na capital paulista, resultado 10,3% superior ao mesmo período de 2016 (5.933 unidades).

Faixa de preço 

Imóveis com preços entre R$ 240.000,01 e R$ 500.000,00 destacaram-se em quase todos os indicadores em junho. Foram 657 unidades lançadas, 808 unidades comercializadas e 9.271 unidades ofertadas. Porém, o melhor desempenho de vendas medido pelo VSO (Vendas Sobre Oferta) foi dos imóveis com preços até R$ 240.000,00, com índice de 13,9%, correspondente às 400 unidades vendidas divididas pelas 2.874 unidades em oferta.

Conclusão 

O mercado imobiliário em São Paulo apresentou no primeiro semestre do ano, tanto em lançamentos quanto em vendas, comportamento quase 10% acima dos resultados apurados em igual período de 2016. Além do crescimento em relação ao ano passado, outro fato a destacar no primeiro semestre foram as vendas pouco mais de 20% superiores aos lançamentos. No acumulado, foram 7.888 unidades comercializadas contra 6.547 unidades lançadas.

“O semestre positivo pode ser creditado aos resultados dos meses de maio e junho que, somados, representaram 51% das vendas e 58% dos lançamentos do período. Não podemos desconsiderar a sazonalidade do início do ano, com férias escolares e inúmeros feriados”, afirma Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.

Nos últimos dois anos, a oferta final de imóveis na cidade de São Paulo diminuiu 23%. Em junho de 2015, a oferta era de 27.448 unidades e hoje são 21.043 unidades não comercializadas na capital paulista. Este movimento de redução no volume de imóveis novos ofertados era previsto pelo mercado e vem se confirmando mês a mês, de acordo com a pesquisa. “Os ajustes em alguns parâmetros urbanísticos do Plano Diretor Estratégico são indispensáveis para sanar dúvidas e motivar os empreendedores, que aguardam momento propício para lançar novos projetos e atender a demanda por imóveis novos na capital paulista”, diz Emilio Kallas, vice-presidente de Incorporação e Terrenos Urbanos do Secovi-SP.

Fonte: Secovi-SP.