Mercado imobiliário continua em baixa em 2015

0
729
Segundo a FipeZap, diversos indicadores apontam para o contínuo desaquecimento do mercado imobiliário
Segundo a FipeZap, diversos indicadores apontam para o contínuo desaquecimento do mercado imobiliário
Pela pesquisa da FipeZap, os preços  do mercado imobiliário devem manter trajetória de queda na opinião de quem pretende comprar imóvel

O mercado imobiliário vai continuar desaquecido em 2015. É o que  aponta o  Raio-X FipeZap: Perfil da demanda de imóveis do 1º trimestre de 2015, pesquisa conduzida conjuntamente pelo ZAP e pela Fipe. Diversos indicadores apontam para o contínuo desaquecimento do setor, como por exemplo a percepção sobre o preço dos imóveis no curto prazo: pela primeira vez desde que esse questionário começou a ser aplicado, mais de 50% das pessoas entrevistadas declararam esperar queda de preços dos imóveis nos próximos 12 meses. Em linha com a expectativa de queda, 75% dos compradores de imóveis dos últimos 12 meses julgam que o preço atual está “caro” ou “muito caro” (veja gráfico abaixo).

Segundo a FipeZap, diversos indicadores apontam para o contínuo desaquecimento do mercado imobiliário

A piora na expectativa de preço de curto prazo foi acompanhada por um pequeno aumento no desconto médio praticado nas transações do mercado imobiliário no começo de 2015. No final do primeiro trimestre desse ano o desconto médio das operações realizadas nos últimos 12 meses estava em 7,5%, ante uma média histórica de 7,0%.

Além disso, a parcela de investidores do mercado imobiliário caiu novamente ao longo do primeiro trimestre, atingindo um total de 37% no acumulado em 12 meses. Essa é a menor participação de investidores da nossa série histórica. A queda se deveu, principalmente, à redução da participação dos investidores que pretendem revender o seu imóvel.

Segundo a pesquisa FipeZap, a maioria dos compradores de imóveis optou por usados. Porém, metade dos que pretendem comprar algum imóvel nos próximos três meses se declarou indiferente entre novo ou usado. A maior parte dos compradores pretende utilizar o imóvel para moradia. O segundo principal motivo de compra é o investimento com intenção de revenda.