Materiais de construção devem ter vendas melhores

0
1032
A margem de vendas de materiais de construção ao mercado interno, para fevereiro, é de 18,5% (bom)
A margem de vendas de materiais de construção ao mercado interno, para fevereiro, é de 18,5% (bom)
Pesquisa da ABRAMAT aponta melhora nas vendas de Materiais de construção em fevereiro

As vendas de materiais de construção em fevereiro terão bom desempenho, segundo Termômetro da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Construção (ABRAMAT), que representa cerca de 70% das indústrias de materiais de construção do país.

A margem de vendas ao mercado interno, para fevereiro, é de 18,5% (bom), mantendo mesmo nível referente a janeiro deste ano. Para fevereiro de 2017, o pessimismo do empresariado é de 3,7% (muito ruim) e 14,8% (ruim). Se comparado a janeiro do mesmo ano, o pessimismo da indústria de material de construção sofreu redução significativa.
As vendas para o mercado externo, em fevereiro, também tem boas perspectivas, segundo levantamento da ABRAMAT. Ao todo, 6,3% consideram o desempenho muito bom e 31,2% bom para o segundo mês do ano.

“A indústria de materiais apresenta uma pequena melhora nas expectativas de vendas para o mês de fevereiro, mas ainda predominando a opinião sobre vendas apenas regulares. O empresário também indica uma melhora na expectativa de ações governamentais, embora ainda predomine uma visão de indiferença nesse tópico. As pretensões de investimento continuam num patamar baixo, na medida que somente 48% das empresas apontam intenção de investir, predominantemente em modernização dos meios de produção. Nesse inicio de ano a perspectiva é de um ano de demanda enfraquecida, principalmente em função da continuidade do desemprego, a escassez de crédito combinada com juros elevados e a desaceleração de programas de infraestutura, ressalta Walter Cover, presidente da ABRAMAT.

Sobre a ABRAMAT

A ABRAMAT acompanha  o crescimento da Construção Civil no país, atuando como interlocutora do setor junto ao Governo e aos demais agentes da cadeia produtiva da construção civil. A entidade conta atualmente com 50 empresas filiadas, que são as líderes na fabricação de materiais de construção dos diversos segmentos. Entre os temas que representam os focos de atuação da entidade estão: a competitividade da indústria, a desoneração fiscal de materiais para construção, a conformidade técnica e fiscal na produção e comercialização dos materiais, a profissionalização da mão-de-obra da construção e a responsabilidade socioambiental dos agentes do setor.