Materiais de construção: vendas caem 5,9% em agosto

0
227
O nível de emprego na indústria de materiais de construção teve queda de 9,4% na comparação com igual mês do ano passado
O nível de emprego na indústria de materiais de construção teve queda de 9,4% na comparação com igual mês do ano passado
Em 12 meses, a queda nas vendas de materiais de construção chegou a 14,5%

As vendas de materiais de construção tiveram queda de 5,9% em relação a agosto de 2015, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Na comparação com julho, houve crescimento de 5,6%. No acumulado até agosto em relação ao mesmo período do ano passado, a variação negativa: -12,5%. Já o resultado acumulado dos últimos 12 meses apresentou queda de 14,5%.

Também em agosto, o nível de emprego na indústria de materiais de construção teve queda de 9,4% na comparação com igual mês do ano passado. Na comparação com o mês de julho de 2016, houve queda de 0,5%.

Como prevíamos, o resultado de agosto mostra uma tendência de redução no ritmo de queda, mas a nosso ver não será mais possível reverter o resultado negativo ao longo desse ano. As principais causas continuam sendo a forte retração no emprego, na renda das famílias, no MCMV e no crédito imobiliário. Ainda não houve uma recuperação da confiança dos empresários e as obras de infraestrutura continuam em ritmo muito baixo. O resultado final do ano de 2016 deverá ser de uma queda menor que a atual, muito por conta da comparação com um período de vendas muito baixo que foi o segundo semestre de 2015. Estamos no aguardo de medidas impulsionadoras da atividade da construção já que esse setor é tradicionalmente o que responde mais rapidamente a incentivos, principalmente no emprego de mão de obra, que é uma das principais preocupações do novo governo.

TOTAL % de Agosto/16 comparado a Julho/16 % de Agosto/16 comparado a Agosto/15 Acumulado no ano Acumulado 12 meses (Móvel)
Faturamento Deflacionado 5,6% -5,9% -12,5% -14,5%
Emprego -0,5% -9,4% -9,7% -8,7%
Materiais: Base e Acabamento

Em agosto, o faturamento deflacionado das vendas dos materiais de base e de acabamento apresentou as seguintes variações: -7,5% e -3,7%, respectivamente, frente a agosto de 2015. Na comparação com julho de 2016, houve crescimento das vendas de base de 3,4%, e crescimento nas de acabamento, de 8,8%. O resultado acumulado no ano até agosto desse ano apresentou queda de 14,0% e 10,3% em relação ao mesmo período do ano passado. E o resultado acumulado dos últimos 12 meses também foi negativo: variações de -16,1% e -12,3%, respectivamente (comparação entre os períodos jul/15 a ago/16 e jul/14 a ago/15).

No que tange ao emprego da indústria de materiais segmentado em base e acabamento, as variações foram, na comparação com o mês anterior, de -0,6% e -0,4% respectivamente, e em relação ao mesmo mês do ano anterior, -9,5% e -9,3% respectivamente. Assim, no acumulado no ano até agosto, as variações são de -9,8% para o segmento de base e -11,9% para o segmento de acabamento.

Análise do Ano e Perspectivas

O faturamento deflacionado da indústria de materiais de construção acumulado até agosto de 2016 registrou queda de 12,5% em relação ao mesmo período de 2015. Para o ano de 2016, a previsão aponta para uma retração de 8,00% em relação a 2015.

A queda de 5,9% no faturamento deflacionado registrada em agosto na comparação com igual mês do ano anterior dá continuidades aos resultados negativos consecutivos nessa base de comparação (iguais meses do ano anterior). Para os próximos meses as projeções apontam para a continuidade dessa tendência de queda no indicador.