Materiais de construção têm queda de 4% em 2017

0
234
A queda nas vendas de materiais de construção em 2017 está relacionada à crise politica e econômica, em particular a alta taxa de desemprego, dificuldades com o crédito, limitação de recursos dos Governos
A queda nas vendas de materiais de construção em 2017 está relacionada à crise politica e econômica, em particular a alta taxa de desemprego, dificuldades com o crédito, limitação de recursos dos Governos
Em dezembro, a queda nas vendas de materiais de construção chegou a 20,2% 

A indústria de materiais de construção teve queda de 4% no  faturamento total deflacionado das vendas em 2017 frente a 2016, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (ABRAMAT). Em dezembro houve queda de 20,2% comparado a novembro e de 2,2% comparado a dezembro de 2016.

No que diz respeito ao nível de emprego da indústria de materiais de construção, dezembro apresentou queda de 6,6% em relação a 2016. Frente a novembro de 2017, a variação mostrou queda de 4,8%.  A variação acumulada foi apresentou uma queda de 5,7%.

A queda apresentada em 2017 está relacionada à crise politica e econômica, em particular a alta taxa de desemprego, dificuldades com o crédito, limitação de recursos dos Governos inibindo investimentos e as incertezas do empresariado. O financiamento imobiliário e Programa Minha Casa, Minha Vida ficaram bem aquém do previsto. O resultado só não foi pior pelo bom desempenho do varejo de materiais alimentado pelas reformas de moradias.

Para 2018 se espera uma recuperação do setor da construção ainda influenciado pelo comércio de materiais mas com uma melhora de atividades relacionadas a novas edificações e infraestrutura, principalmente a partir do segundo semestre. Com base na leitura atual do cenário politico e econômico, a ABRAMAT prevê um crescimento de 1 a 2% nas vendas de 2018.

TOTAL % de dezembro/17 comparado a novembro/17 % de dezembro/17 comparado a dezembro/16 Acumulado no ano Acumulado 12 meses (Móvel)
Faturamento Deflacionado -20,2% -2,2% -4,0% -4,0%
Emprego -4,8% -6,6% -5,7% -5,7%

 

Materiais: Base e Acabamento

O faturamento deflacionado das vendas dos materiais de base e de acabamento apresentou queda de 1,9% e 2,6% respectivamente, em dezembro de 2017 comparativamente ao mesmo mês de 2016.  Na comparação com o mês anterior, houve queda significativa nos segmentos de base (-19,9%) e de acabamento (-20,6%). A variação acumulada no ano, sendo a mesma para a variação em 12 meses, mostrou queda de 4,4% para base e 3,5% para o acabamento em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Ainda em dezembro, o emprego da indústria de materiais dos segmentos de base e acabamento apresentou queda de 1,2% e 11,3% respectivamente, em relação a novembro de 2017. Além disso, base e acabamento registraram em relação ao mesmo mês do ano anterior queda de 3,3% para o emprego na base e 12,7% para o emprego na indústria. O resultado acumulado no ano e do acumulado em 12 meses, para base e acabamento apresentou queda de 5,6% e de 5,7% respectivamente.

Análise do Ano e Perspectivas

O mês de dezembro registrou queda de 4,0% para o acumulado no ano. A projeção de encerramento de 2017 era -4,5%, pior do que o realizado, uma vez que novembro apresentou crescimento significativo em relação ao mesmo mês do ano anterior.

A variação de dezembro de 2017 com o mesmo mês do ano passado mostra aumento um queda de 2,2%, interrompendo a tendência de recuperação. Todavia, cabe ressaltar que esta é uma tendência sazonal.