Lustres impactantes de volta aos ambientes do décor

0
59
Tanto na parede ao lado quanto no fundo do espaço, os lustres imponentes chamam atenção no Network Living, ambiente projetado por Laura Santos, na Casa Cor RJ. Foto: MCA Estúdio
Tanto na parede ao lado quanto no fundo do espaço, os lustres imponentes chamam atenção no Network Living, ambiente projetado por Laura Santos, na Casa Cor RJ. Foto: MCA Estúdio
Os lustres podem ser destaque tanto em ambientes residenciais como corporativos

Os lustres estão com tudo na decoração, principalmente os mais impactantes que se destacam no ambiente. É preciso, porém, saber como harmonizar o restante do décor para que o layout não fique sobrecarregado.

Segundo a arquiteta e designer de ambientes Gislene Lopes, para o lustre ser o protagonista é necessário que o ambiente seja limpo e sem excessos. Dessa forma, ele terá o seu devido destaque. “É importante, também, estar ciente do efeito de iluminação do lustre a ser utilizado para que o restante da iluminação trabalhe em conjunto com ele. Em ambientes maiores, com vãos sem muitos elementos como, por exemplo, um hall de edifício ou pé-direito duplo, pode-se aproveitar ainda mais o espaço para criar o cenário perfeito para a colocação de um lustre diferenciado”, explica.

Projeto Gislene Lopes: O pé direito duplo foi evidenciado pelo impactante lustre escolhido. Foto: Jomar Bragança
Projeto Gislene Lopes: O pé direito duplo foi evidenciado pelo impactante lustre escolhido. Foto: Jomar Bragança
Evite poluir o ambiente

Um lustre imponente deve ser inserido na decoração com seus devidos cuidados para que não polua visualmente o ambiente. E, vale ressaltar, que as regras atuais não são mais as mesmas de antigamente, dando mais liberdade para a composição do layout. “O lustre na sala de jantar antes era um elemento que não podia faltar e ficava sempre centralizado em relação à mesa. Hoje, já não existe mais tanta regra para isso. Deve-se, no entanto, estar atento à sua posição e tamanho para não prejudicar as circulações e nem perder a proporção dele em relação à mesa e também aos outros móveis”, revela Gislene.

Segundo Gislene Lopes é muito importante ficar atento a proporção do lustre em relação à mesa para não criar um desconforto visual. Foto: Jomar Bragança ​
Segundo Gislene Lopes é muito importante ficar atento a proporção do lustre em relação à mesa para não criar um desconforto visual. Foto: Jomar Bragança
Lustres em ambientes corporativos

Vale ressaltar ainda, que não é somente no layout residencial que os lustres mais arrojados podem ser inseridos. De acordo com a designer de ambientes Laura Santos, os ambientes corporativos também têm espaço para eles. Em seu projeto para a Casa Cor Rio 2017, o “Network Living”, a profissional inseriu um elegante e impactante lustre. “A ideia principal da criação do ‘Network living’ é um ambiente de estar em um ambiente trabalho, uma questão que está em voga nos dias atuais, com o foco cada vez maior no bem-estar dos profissionais. Com isso, trago para o corporativo, tendências atuais do décor residencial, como o lustre impactante, que se encaixa perfeitamente em quaisquer dos dois estilos de ambientes”, relata.

Para a designer, a decoração dos ambientes corporativos atualmente está mais acolhedora e trazendo melhorias para o desempenho dos profissionais. E, a iluminação, é um dos pontos principais para a eficácia de um ambiente de trabalho. “Aqueles ambientes sisudos, frios, estão dando cada vez mais espaço para espaços aconchegantes, com toque de casa. No espaço corporativo, o projeto luminotécnico merece uma atenção especial, assim como fiz com este meu ambiente para a Casa Cor Rio. O lustre, por exemplo, traz mais requinte à composição do layout e traz a sensação de estar em casa”, afirma.

O projeto de Laura Santos, com as duas luminárias Slamp, design italiano, foi lançado na Feira de Milão deste ano. Foto: MCA Estúdio ​
O projeto de Laura Santos, com as duas luminárias Slamp, design italiano, foi lançado na Feira de Milão deste ano. Foto: MCA Estúdio
Projeto luminotécnico

Gislene Lopes lembra que é preciso estar atento à principal funcionalidade do lustre, a de iluminar o ambiente. Toda a iluminação do espaço deve ser respeitada e bem harmonizada para que não haja discrepâncias no projeto. “Ao usar um lustre com iluminação mais expressiva, é necessário ter atenção com o restante da iluminação para não tirar o efeito proposto pelo lustre utilizado. Deve-se concentrar a iluminação em pontos estratégicos e trabalhar em conjunto com o lustre e escolher o efeito de acordo com o conceito e proposta de todo o projeto. Um projeto luminotécnico bem feito é fundamental para garantir a escolha correta do lustre e sua posição”, diz.