Jardins verticais: menos concreto, mais verde

0
683
Jardins verticais melhoram a qualidade térmica dos ambientes e das cidades.Foto: Divulgação
Jardins verticais melhoram a qualidade térmica dos ambientes e das cidades.Foto: Divulgação
Jardins verticais podem trazer um conforto ambiental mais adequado
Nina Abadjieff
* Nina Abadjieff

Os jardins verticais  são sinônimo de sustentabilidade. A cada dia, mais e mais concreto molda as grandes cidades brasileiras. Fachadas enormes de concreto e vidro trazem um visual enrijecido e suprimem pouco a pouco o verde das áreas urbanas. Com isto, perde-se a qualidade do ar, as zonas urbanas ficam cada vez mais quentes e a umidade cai, trazendo consequências para a saúde das pessoas e do planeta.

Existe, porém, uma forma de tentar minimizar o impacto cada vez maior do concreto e do cinza nas cidades. E esta forma, além de trazer um conforto ambiental mais adequado para a vida das pessoas, traz também um visual mais alegre e natural aos grandes centros. São os chamados jardins verticais, que se tratam de jardins dispostos nas fachadas das edificações, muros ou até mesmo na parede da sua sala de estar.

Em jardins verticais externos devem ser utilizadas espécies que possam receber uma incidência solar mais evidente
Em jardins verticais externos devem ser utilizadas espécies que possam receber uma incidência solar mais evidente

É uma nova proposta de sustentabilidade das edificações, uma vez que propicia a manutenção da qualidade de vida para as pessoas, trazendo além da questão da melhora do desempenho térmico, um isolamento acústico e o controle da iluminação natural às edificações. Trazem ainda, dentre outras vantagens, o fato de dispensar o uso de aparelhos de ar condicionados, uma vez que, como dito anteriormente, melhoram a qualidade térmica dos ambientes e das cidades.

Os painéis dos jardins verticais podem variar de acordo com o espaço e a necessidade de cada proprietário. Podem ser usados em grandes fachadas e até mesmo em pequenos espaços dentro de uma residência, por exemplo, compondo a decoração de apartamentos e casas.

Jardins internos

Jardins verticais internos devem ser compostos de plantas que se adequam a uma menor iluminação natural direta, e com folhagens proporcionais ao tamanho do ambiente em que estão instalados. Em pequenos apartamentos, deve-se usar folhagens menores, e em residências, podem ser utilizadas espécies tanto decorativas, como as suculentas e samambaias, quanto as comestíveis, como é o caso do coentro, manjericão, dentre outras.

Jardins verticais internos devem ser compostos de plantas que se adequam a uma menor iluminação natural direta
Jardins verticais internos devem ser compostos de plantas que se adequam a uma menor iluminação natural direta

Já nos jardins verticais externos, devem ser utilizadas espécies que possam receber uma incidência solar mais evidente, bem como plantas que suportem outras intempéries, como chuvas e ventos fortes. Deve-se atentar também que mesmo se tratando de espaços externos, o tamanho das espécies deve ser proporcional ao tamanho do ambiente, respeitando o espaçamento para o desenvolvimento das raízes, e se atentando que o suporte deva ser resistente ao peso da terra úmida e das próprias plantas.

Praticamente todas as plantas podem ser cultivadas nos jardins verticais, porém, deve-se escolher aquelas que não percam muitas folhagens durante algumas estações do ano, para que o jardim esteja sempre saudável e com uma vista de encher os olhos. Além de serem plantas que necessitam de menor manutenção e limpeza.

* Nina Abadjieff é designer de interiores formada pelo INAP e arquiteta pelo Instituto Metodista Izabela Hendrix. Atua no mercado de arquitetura e design com projetos residenciais e comerciais.