Índice IGP-M começa fevereiro em baixa

0
386
IGP-M do primeiro decêndio de fevereiro variou 0,09%, segundo a Fundação Getúlio Vargas
IGP-M do primeiro decêndio de fevereiro variou 0,09%, segundo a Fundação Getúlio Vargas

O Índice Geral de Preços – Mercado (Índice IGP-M), que serve de parâmetro para o reajuste de aluguel,  registrou variação de 0,09%, na apuração referente ao primeiro decêndio (também denominada primeira prévia) de fevereiro. No mesmo período de apuração do mês anterior, a alta foi de 0,29%. A apuração referente ao primeiro decêndio do índice IGP-M de fevereiro compreendeu o intervalo entre os dias 21 e 31 do mês de janeiro.

IGP-M do primeiro decêndio de fevereiro variou 0,09%, segundo a Fundação Getúlio Vargas
O índice IGP-M do primeiro decêndio de fevereiro variou 0,09%, segundo a Fundação Getúlio Vargas

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,67% no primeiro decêndio de fevereiro, acima do resultado do mês anterior, de 0,08%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,95%. No mês anterior, a taxa foi de 0,17%. O índice que representa o custo da Mão de Obra apresentou taxa de variação de 0,42%, em fevereiro. No mês anterior, este índice não registrou variação.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de  negative de -0,34%, no primeiro decêndio de fevereiro. No mesmo período do mês de janeiro, o índice variou 0,23%. A taxa do índice referente a Bens Finais passou de 1,11% para 0,80%. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de 9,80% para 1,94%. O índice correspondente aos Bens Intermediários variou -0,20%, ante 0,28%, no mês anterior. A principal contribuição para este recuo partiu do subgrupo materiais e componentes para a manufatura, que passou de 0,07% para -0,58%.

O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação  negative de -1,92%. No mês anterior, a taxa foi de -0,89%. Entre os itens com taxas em trajetória decrescente, destacam-se: soja (em grão) (1,05% para -7,99%), suínos (0,80% para -7,95%) e milho (em grão) (-0,47% para -2,29%). Em sentido oposto, vale mencionar: leite in natura (-2,63% para 3,92%), mandioca (aipim) (3,34% para 9,38%) e minério de ferro (-5,85% para -4,99%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,97%, no primeiro decêndio de fevereiro. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,52%. Seis das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Transportes (0,22% para 1,92%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item tarifa de ônibus urbano, cuja taxa passou de -0,29% para 5,15%. Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos Habitação (0,51% para 1,10%), Educação, Leitura e Recreação (-0,03% para 1,50%), Despesas Diversas (0,16% para 1,17%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,33% para 0,44%) e Comunicação (0,28% para 0,31%).