Inadimplência em condomínios cresce em BH e São Paulo

0
523
Valor do ITBI em Belo Horizonte subiu para 3% neste ano. Foto: Adão de Souza
Valor do ITBI em Belo Horizonte subiu para 3% neste ano. Foto: Adão de Souza

Levantamentos realizados pela Câmara do Mercado Imobiliário (CMI/Secovi-MG) e o Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) mostram que aumentou a inadimplência em condomínios nas duas capitais. Em Belo Horizonte, no ano passado, foi de 9,25%. Já na capital paulista, o número de ações de cobrança por falta de pagamento cresceu 42,14%, em janeiro deste ano.

Em Belo Horizonte, os maiores índices foram registrados nos meses de junho (10,25%) e setembro (10,24%). O estudo foi feito levando em consideração cerca de mil condomínios residenciais e comerciais na capital mineira.

A CMI/Secovi-MG também pesquisou as médias de reajustes nas taxas condominiais em 2012. Para isso, foram avaliados aproximadamente mil prédios residenciais e comerciais de alto, médio e baixo padrões. No geral, os índices variaram de 0% a 58% e a média ficou em 9,46%.

Entre os prédios residenciais de alto padrão na capital mineira, o reajuste das taxas condominiais, em média, foi de 4,88%. As taxas nos prédios residenciais de médio padrão tiveram reajuste de 10,36% e, nos residenciais de baixo padrão, 13,14%.

Em relação ao valor das taxas de condomínios, segundo pesquisa realizada pela CMI/Secovi-MG e Ipead/UFMG em janeiro deste ano, moradores de imóveis populares de um quarto, pagam em média, R$ 33,78. Nos apartamentos de luxo (com mais de quatro quartos) a média é de R$ 893,15 no valor mensal.

Belo Horizonte – Janeiro/2013 – Médias das taxas de condomínio dos imóveis residenciais (R$) por classe de bairros(*)

Imóvel Residencial

Classe de bairros

Popular

Médio

Alto

Luxo

Apto

1 Quarto

33,78
(9)

92,89
(9)

233,30
(44)

256,93
(101)

2 Quartos

141,18
(62)

167,97
(72)

226,54
(145)

414,33
(155)

3 Quartos 1 Banho

150,78
(23)

176,11
(18)

229,69
(23)

416,30
(10)

3 Quartos 2 ou mais Banhos

201,05
(39)

247,34
(59)

287,52
(163)

502,39
(303)

4 Quartos e até 2 Banhos


(3)


(1)

464,00
(11)

641,66
(20)

Acima de 4 Quartos e 2 Banhos


(2)

315,78
(9)

442,27
(28)

893,15
(152)

(*) O valor entre parênteses representa o número de imóveis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maioria das vezes, somente são publicados valores médios obtidos a partir de quatro imóveis pesquisados. Os casos em que não foi pesquisado nenhum imóvel são indicados por hífen (-). FONTE: CMI/Secovi-MG e Fundação IPEAD/UFMG.

O número de ações de cobrança por falta de pagamento da taxa de condomínio em São Paulo cresceu 42,14% em janeiro deste ano, segundo levantamento do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP. Ao todo, foram protocoladas 985 ações, contra 693 casos no mês de dezembro.

Este número foi o maior na comparação dos meses de janeiro desde 2007, quando se observou 1.038 ações. Para Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Sindicato, o que pode contribuir para o aumento de ações nessa época são as despesas de final de ano. “Além dos gastos com presentes, viagens e lazer, devemos considerar o pagamento de impostos e taxas como IPVA e IPTU, que fazem com que as renegociações de dívidas existentes sejam adiadas.”

A recomendação do Secovi-SP é que síndicos e administradoras reforcem as negociações de cobrança, buscando conscientizar os condôminos da importância desse pagamento para a manutenção da saúde financeira do condomínio. Contudo, Gebara acredita que a alta não vai alterar o quadro de estabilidade observado em 2012, e espera o que o número de acordos amigáveis aumente nos próximos meses.