Inadimplência de aluguel sobe 33,7% em São Paulo

0
285
Em maio, foram protocoladas no município de São Paulo 1.917 ações por inadimplência de aluguel
Em maio, foram protocoladas no município de São Paulo 1.917 ações por inadimplência de aluguel
Aumenta o número de ações na Justiça por inadimplência de aluguel em São Paulo em maio, segundo o Sindicato da Habitação

As ações judiciais por inadimplência de aluguel em São Paulo subiram 33,7% em maio, segundo levantamento realizado pelo Sindicato da Habitação(Secovi-SP) no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Em maio, foram protocoladas no município 1.917 ações locatícias, uma alta de 33,7% em comparação com o mês de abril (1.434 ações). Em relação ao mesmo mês do ano anterior, houve aumento de 8,4%, com 1.768 ações.

As ações por falta de pagamento de aluguel foram responsáveis por 89,4% do total, com 1.713 ações. As renovatórias apareceram na segunda posição, com 112 ações e participação de 5,8%. As ações Ordinária/Despejo e as consignatórias participaram, respectivamente, com 83 (4,3%) e 9 (0,5%) processos.

“Continuamos sofrendo as consequências das crises econômica e política. A primeira torna as pessoas inadimplentes e a segunda as deixa temerosas do que possa vir a afetar o seu patrimônio. Daí o crescimento da quantidade das ações de despejo, para que se resolva rapidamente cada questão”, afirma Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP. 

Acumulado

O total de ações acumuladas no período de junho de 2016 a maio de 2017 foi de 19.177 casos, aumento de 20,2% diante do acumulado de junho de 2015 a maio de 2016 com 15.948 ações. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, houve aumento de 8,4%, com 1.768 ações.

Este levantamento é feito mensalmente pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP) junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

Palestra

O Secovi-SP promove no próximo dia 27/6, mais uma edição do Ciclo de Palestras para Síndicos e Administradoras de Condomínios. O objetivo é estimular e orientar sobre as boas práticas na gestão dos resíduos em edifícios.

A engenheira Clarice Degani, assessora técnica da vice-presidência de Tecnologia e Sustentabilidade do Secovi-SP, vai abordar o planejamento para a triagem dos resíduos, a investigação de possibilidades de aproveitamento, a reciclagem e a obrigatoriedade regulamentar para a destinação final adequada.

Mais informações acesse o link. 

Fonte: Secovi-SP.