Inadimplência de aluguel cai em São Paulo em junho

0
386
Em junho, foram protocoladas no município de São Paulo 1.566 ações por inadimplência de aluguel
Levantamento aponta queda de 18,3% no volume de processos em junho, principalmente por inadimplência de  aluguel

A inadimplência de aluguel na cidade de São Paulo diminuiu em junho, segundo levantamento realizado pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP) no Tribunal de Justiça do Estado. A pesquisa mostra que houve uma diminuição no número de ações relacionadas ao mercado de locação na cidade de São Paulo.

Em junho, foram protocoladas no município 1.566 ações locatícias, 18,3% a menos que as 1.917 ajuizadas em maio. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, a redução foi de 13,1%, com 1.803 ações.

Em maio, as ações judiciais por inadimplência de aluguel  haviam subido 33,7% na capital paulista, segundo o mesmo levantamento do Secovi.

As ações por falta de pagamento de aluguel responderam por 89,8% do total, com 1.406 registros. As renovatórias apareceram na segunda posição, com 78 ações e participação de 5%. As ações ordinárias, que podem ensejar despejo, e as consignatórias participaram, respectivamente, com 72 (4,6%) e 10 (0,6%) processos.

Acumulado em 12 meses

O total de ações acumuladas no período de julho de 2016 a junho de 2017 foi de 18.940 casos, aumento de 17,5% diante do acumulado de julho de 2015 a junho de 2016, com 16.125 ações.

Crise econômica afeta o mercado imobiliário

A crise econômica e o desemprego atingiram em cheio o setor, com  falta de pagamento de aluguéis. Mesmo assim, muitos inquilinos estão buscando formas de negociar os débitos para evitar ações judiciais.  “A oscilação verificada no primeiro semestre do ano retrata o quanto os locadores têm insistido em acordos. Essas 1.556 ações ajuizadas em junho referem-se a casos em que os acordos foram inviáveis, devido à absoluta falta de meios ou de interesse em pagar os débitos”, afirma Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP.

Fonte: Secovi-SP.