Imóveis em São Paulo: vendas crescem 28%

0
491
O primeiro trimestre do ano registrou a vendas de 2.856 imóveis em São Paulo, do tipo residencial
O primeiro trimestre do ano registrou a vendas de 2.856 imóveis em São Paulo, do tipo residencial
No período, foram comercializados 1.070 imóveis em São Paulo, do tipo residencial

As vendas de imóveis em São Paulo cresceram 28% em março, de acordo com a Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do  Sindicato da Habitação (Secovi-SP). Em março foram vendidas 1.070 unidades residenciais novas na cidade de São Paulo. O volume é 16% inferior ao total vendido em março de 2015 (1.267 unidades) e 28% superior em relação a fevereiro (836 unidades).

Com base nesses números, o primeiro trimestre do ano registrou a comercialização de 2.856 unidades residenciais na cidade de São Paulo. Apesar de ser 4,4% superior ao volume de vendas de igual período de 2015, o resultado ficou abaixo da média de 5,5 mil unidades escoadas entre 2004 e 2015.

“Os primeiros três meses do ano mantiveram a tendência observada ao longo de 2015, de comercialização de unidades com tíquete baixo, predominantemente de 2 quartos, o que resultou na diminuição do montante vendido na cidade de São Paulo”, considera Flavio Amary, presidente do Secovi-SP.

 De acordo com dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), em março foram lançadas 565 imóveis em São Paulo, volume 230% superior ao de fevereiro de (171 unidades). Comparado ao mesmo mês de 2015, a redução foi de 26,9% nos lançamentos.

No primeiro trimestre deste ano, foram lançadas 1.692 unidades residenciais na Capital, representando uma queda de 23% em relação ao mesmo período de 2015 (2.191 unidades). Este período registrou a menor quantidade de lançamentos na cidade paulistana desde 2004, ano em que foi adotada a atual metodologia.

“O baixo número de lançamentos está relacionado à falta de confiança no ambiente político-econômico do País, às alterações na legislação urbana (PDE e Lei de Zoneamento) e à necessidade das empresas em gerar caixa e diminuir as unidades em estoque”, afirma Emílio Kallas, vice-presidente de Incorporação e Terrenos Urbanos do Secovi-SP. 

Análise por segmento

Tipologia – Pelo terceiro mês consecutivo, os imóveis de 2 quartos  predominaram em todos os indicadores da pesquisa de março: 466 vendas, 251 lançamentos, oferta final de 9.680 unidades e VSO de 4,6%. Isso confirma o bom desempenho desse produto no mercado.

Área útil – Por faixas de área útil, imóveis com metragem média entre 45m² e 65m² lideraram os lançamentos (310 unidades) e as vendas (423 unidades). O índice VSO desse tipo de imóvel ficou em 4,2%.

Preço – O melhor desempenho de comercialização medido pela relação das vendas com a oferta foi registrado para os imóveis com preços abaixo de R$ 225 mil (VSO de 9,1%). “Nessa faixa de preço, a oferta é pequena, mas há maior demanda”, explica o economista-chefe do Secovi-SP Celso Petrucci.

Já as unidades com preço entre R$ 225 mil e R$ 500 mil tiveram 422 unidades comercializadas, liderando as vendas e também os lançamentos no mês.

Região – A zona Norte da cidade de São Paulo apresentou o melhor VSO (4,6%). Em termos de vendas, a zona Leste foi o destaque do mês, com 270 unidades comercializadas. Já a zona Oeste registrou a maior quantidade lançada (178 unidades). A região com maior volume de imóveis ofertados foi a Sul, com 7.793 unidades.