Imóveis em São Paulo têm boas vendas em abril

0
364
As vendas de imóveis em São Paulo devem diminuir 20% em 2015
As vendas de imóveis em São Paulo devem diminuir 20% em 2015
As vendas de imóveis em São Paulo melhoraram pelo segundo mês consecutivo

Os imóveis em São Paulo tiveram as melhores vendas em abril, conforme os resultados da Pesquisa do Mercado Imobiliário realizada pelo departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). No mês, foram vendidas 2.185 unidades residenciais, um aumento de 72,5% comparado às 1.267 unidades comercializadas em março e de 1,8% em relação aos 2.147 imóveis vendidos em abril de 2014.

As vendas de imóveis em São Paulo devem diminuir 20% em 2015

Apartamentos de 2 quartos foram os mais vendidos, com 60% das vendas (1.311 unidades). O segmento de 1 quarto teve participação de 23,8% (520 unidades), seguido por imóveis de 3 dormitórios, que responderam por 12,9% do mercado (281 unidades), e dos de 4 ou mais dormitórios, com 3,3% (73 unidades).

O indicador VSO (Vendas Sobre Oferta) mensal também apresentou melhora, demonstrando que 7,2% das unidades ofertadas foram comercializadas. Os imóveis com melhor desempenho foram os de 2 quartos, com 11,2%. O VSO de 12 meses registrou ligeira queda, passando de 41,5% no mês de março para 39,8% em abril.

O VGV (Valor Global de Vendas) do mês foi de R$ 884,2 milhões, volume 30,8% superior ao de março e 37,2% inferior ao de abril de 2014. “O resultado pode ser reflexo do tíquete médio dos imóveis vendidos, que foi de R$ 405 mil para a cidade de São Paulo em abril, ante R$ 655 mil no mesmo mês do ano passado. Essa redução foi acentuada, ainda, pela comercialização dos imóveis na faixa de até R$ 350 mil, demonstrando que os incorporadores estão buscando ajustar os produtos à faixa de renda na qual a demanda é maior”, avalia Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.

Lançamentos – Segundo dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), o total de 3.023 unidades residenciais lançadas no município de São Paulo em abril representou alta de 291,1% em relação às 773 unidades de março e de 28,2% comparado às 2.358 unidades do mesmo mês de 2014.

Os apartamentos de 2 quartos também se destacaram, com 1.538 unidades lançadas (50,9% do total). Já os apartamentos de 1 quarto responderam por 31% do volume lançado (925 unidades), enquanto os de 3 dormitórios participaram com 14% (423 unidades) e os de 4 ou mais dormitórios ficaram com 4,5% (137 unidades).

As vendas de imóveis em São Paulo ofertaram 28.021 unidades, o que equivale a um estoque para 23 meses – considerando a média de 12 meses de vendas, que é de 1.230 unidades. A oferta corresponde a imóveis residenciais novos na planta, em construção e prontos, lançados entre maio de 2012 e abril de 2015 (últimos 36 meses).

Expectativas – O mercado imobiliário vem procurando se ajustar à conjuntura econômica atual e à sequência de notícias negativas, como o aumento da taxa de juros e a restrição de crédito imobiliário pela Caixa.

Por outro lado, o ajuste fiscal está em aprovação no Congresso Nacional e existe uma percepção geral de que as medidas propostas pela equipe econômica, se sancionadas e implementadas, poderão melhorar as expectativas dos investidores em relação ao País.

Apesar de dois meses consecutivos de crescimento das vendas, ainda é cedo para se afirmar que o mercado imobiliário esteja se recuperando. “Porém, os resultados apontam que, apesar do cenário econômico difícil, há demanda e o ambiente é de oportunidade para quem deseja adquirir um imóvel”, pontua o presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes.

Vendas menores em 2015

Os dados coletados pelo Secovi-SP no município de São Paulo e a conjuntura econômica até o mês de abril demonstram um cenário que, comparado ao mesmo período do ano passado, permitem atualizar as projeções para 2015:

VENDAS – Redução de 15% a 20% em relação ao ano de 2014, ou seja, um intervalo entre 17,3 mil a 18,4 mil unidades comercializadas no ano.

LANÇAMENTOS – Redução de 23% a 25% em relação ao ano de 2014, ou seja, um intervalo entre 25,5 mil a 26,2 mil unidades lançadas no ano.