Imóveis em São Paulo: lançamentos caem 41,9%

0
443
Em outubro, as ofertas de imóveis em São Paulo aumentaram mais de 40% em relação ao mesmo período de 2013
Em outubro, as ofertas de imóveis em São Paulo aumentaram mais de 40% em relação ao mesmo período de 2013

Ofertas aumentam mais de 40% em relação a outubro do ano passado

Os lançamentos de novos imóveis em São Paulo diminuíram  41,9% em outubro, segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Foram lançadas 2.336 unidades residenciais no mês. Este número é 41,9% inferior a setembro e 20,9% menor que o apurado em outubro do ano passado.

O VGV (Valor Global de Vendas) atualizado pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) indica que os valores comercializados em outubro totalizaram R$ 531 milhões. Em relação a setembro, houve queda de 63% e comparado a igual mês de 2013, a redução foi 55,6%.

Em outubro, as ofertas de imóveis em São Paulo aumentaram mais de 40% em relação ao mesmo período de 2013
Em outubro, as ofertas de imóveis em São Paulo aumentaram mais de 40% em relação ao mesmo período de 2013

Com os resultados do mês, 23.652 unidades residenciais novas foram colocadas em oferta, com alta de 5,9% em relação a setembro e crescimento de 40,6% ante outubro do ano passado. Considerando a média vendida este ano (1.534 unidades), o estoque seria equivalente a 15 meses de vendas. “Apesar de esta equivalência ter sido de seis meses no ano passado, o número ainda não assusta”, afirma Celso Petrucci, economista-chefe do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

De janeiro a outubro, foram comercializadas 15.337 unidades residenciais novas, resultado 44,7% inferior ao mesmo período do ano passado.

Os lançamentos de imóveis residenciais totalizaram 20.703 unidades no ano até outubro, queda de 16,1% considerando o mesmo intervalo de tempo no ano passado.

Outubro foi o segundo pior mês do ano em termos de comercialização no município de São Paulo, depois de dois meses de recuperação do mercado. “Dois finais de semana, que representam os melhores dias para o mercado imobiliário, foram dedicados à votação em primeiro e segundo turnos das eleições presidenciais, as mais disputadas dos últimos tempos e que trouxeram certa insegurança quanto ao futuro do País”, pondera Petrucci.

Região Metropolitana – No mês de outubro, o desempenho do mercado imobiliário nos municípios vizinhos e que compõem a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) foi melhor do que o da Capital. Porém, no acumulado do ano, está abaixo do comportamento registrado em 2013.

Em outubro, foram comercializadas na RMSP 3.499 unidades, retração de 27,1% em comparação com o mês de setembro, e de 24,2% em relação a outubro do ano passado. Esse resultado foi bastante influenciado pelo baixo desempenho da cidade de São Paulo, pois, considerando apenas os municípios vizinhos, as vendas atingiram 2.536 unidades, montante 26,1% superior ao percebido em setembro e 3,3% em relação a outubro de 2013. Esses municípios participaram com 72% do total das vendas da RMSP, índice superior à média histórica de 45%.

O presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes, lembra que pode haver uma certa recuperação, pois o último trimestre do ano costuma ser melhor. “Em outubro, foi interrompida a reação que o mercado apresentou no início do segundo semestre. De qualquer forma, em novembro e dezembro o desempenho do mercado deve melhorar em relação ao décimo mês do ano, o que, ainda assim, será insuficiente para recuperar as perdas do primeiro semestre”, diz o dirigente, acrescentando que o desempenho do mercado deve fechar o ano com queda significativa.

Fonte: Secovi-SP.