Hotéis são insuficientes fora das capitais, revela IBGE

0
465
Hotel que está sendo construído em Belo Horizonte

Os hotéis são insuficientes no Brasil fora dos grandes centros. Quase 75% da capacidade total de hospedes das regiões metropolitanas e regiões integradas de desenvolvimento (RIDE) brasileiras, em 2011, se concentravam nas capitais. O mesmo ocorreu com mais de 67% dos estabelecimentos e 76% das unidades habitacionais. Estas e outras informações integram a Pesquisa de Serviços de Hospedagem (PSH) 2011 – Municípios das Capitais, Regiões Metropolitanas das Capitais e Regiões Integradas de Desenvolvimento, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (5/04).

Isso acontece principalmente em Fortaleza (CE), que detinha 76,5% dos estabelecimentos (280), 85,2% das unidades habitacionais (12.188) e 82,4% da capacidade total de hóspedes (28.987). No outro extremo encontrava-se Recife (PE), com 43,3% dos estabelecimentos (161), 48,4% das unidades habitacionais (7.216) e 45,6% da capacidade total de hóspedes (15.244). Excetuando-se o município da capital, a cidade com maior rede de hospedagem era Ipojuca (PE), que concentrava 25,3% dos estabelecimentos (94) localizados na região metropolitana de Recife (CE). O estudo investigou 7.479 estabelecimentos nas áreas pesquisadas.Os dados do IBGE registram, ainda, um total de 327.678 unidades habitacionais (suítes, apartamentos, quartos e chalés), e capacidade total de 741.303 hóspedes.

Belo Horizonte, Recife, Porto Alegre têm menos hotéis

Belo Horizonte é uma das três capitais com menos hotéis no país

A PSH 2011 revela que 67,3% dos estabelecimentos, 76,4% das unidades habitacionais e 74,8% da capacidade de hóspedes estão concentrados nos municípios das capitais. Além de Fortaleza, São Paulo aparece em segundo lugar, com 73,5% dos estabelecimentos (972), 78,5% das unidades habitacionais (54.065) e 78,0% da capacidade de hóspedes (114.212), e Rio de Janeiro em terceiro, com 70,4% dos estabelecimentos (429), 81,9% das unidades habitacionais (31.594) e 81,2% da capacidade total de hóspedes (67.536).

Entre as capitais com menor concentração destacam-se Recife, com 43,3% dos estabelecimentos (161), 48,4% das unidades habitacionais (7.216) e 45,6% da capacidade total de hóspedes (15.244); Belo Horizonte (MG), com 49,4% dos estabelecimentos (291), 61,2% das unidades habitacionais (13.353) e 57,5% da capacidade total de hóspedes (27.842); e Porto Alegre (RS), com 52,5% dos estabelecimentos (190), 68,8% das unidades habitacionais (10.284) e 67,6% da capacidade total de hóspedes (21.570).