Financiamento imobiliário: juros da Caixa sobem

0
667
Os juros do financiamento imobiliário para imóveis mistos na Caixa subiram para 14% ao ano
Os juros do financiamento imobiliário para imóveis mistos na Caixa subiram para 14% ao ano
Juros do financiamento imobiliário residencial sobem para 9,90%

Os juros do financiamento imobiliário da Caixa Econômica Federal, sobem a partir de 1º de outubro. Os juros dos financiamentos para imóveis residenciais pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) serão reajustados para 9,90% ao ano, para quem não tem conta no banco. Para os imóveis comerciais e mistos, os juros passam para 14% ao ano.

Os juros do financiamento imobiliário para imóveis mistos na Caixa subiram para 14% ao ano

As taxas de juros dos financiamentos habitacionais com recursos do Programa Minha Casa Minha Vida e do FGTS não sofrerão qualquer alteração.

Segundo a Caixa, a alteração se deve ao aumento das taxas de juros básicos (Taxa Selic), que atualmente é de 11,75% ao ano.

Nos imóveis mistos, para clientes que têm relacionamento com a Caixa, os juros aumentaram de 11,50% para 13,50%. Para quem tem não só relacionamento, mas também recebe seu salário pelo banco, a taxa será de 13%, contra 11% anteriormente.

A mudança dos juros da Caixa vai afetar quem tem renda mensal acima de R$ 5,4 mil e que não utiliza os financiamentos habitacionais contratados com recursos do FGTS. Atualmente, há uma série de condições para obter financiamento da casa própria com recursos do FGTS, entre elas estão renda de até R$ 5,4 mil e não possuir imóvel no mesmo nome nem no mesmo município.

No Sistema Financeiro de Habitação (SFH), o valor máximo do imóvel financiado é de R$ 750 mil para estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal. Nos outros nos estados do Brasil, o valor é de R$ 650 mil. Para imóveis acima desses valores, a Caixa tem o financiamento pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). No SFI, a taxa balcão (para quem não tem conta no banco) aumenta de 11% para 11,50% ao ano. No SFI, estão os financiamentos que não se enquadram no SFH, como os imóveis com valores superiores ao estabelecido pela lei.