Existe reforma com final feliz?

1
425
Foto da Neusilane Lima.

Imagine comprar aquele velho e bom apartamento ou arrematar aquela boa e velha loja, mas com ponto comercial invejável. neusilane_pngOportunidades assim inevitavelmente nos levam a pensar nos contratempos, deslizes, dúvidas, problemas, dificuldades e aborrecimentos para revitalizar os espaços.

De fato, não existe reforma sem desafios. Mas, acredite: dá para renovar a casa ou a loja comercial inteira sem estourar o orçamento nem ficar estressado durante a reforma. Os transtornos da reforma se devem principalmente a falta de Planejamento. Por isso, algumas dicas e cuidados são fundamentais antes e durante a reforma.

1 – Necessidades
Depois de ver ler revistas, visitar lojas de construção, surgem ideias e dúvidas sobre o que realmente você quer. Chega então o momento de consultar arquitetos, decoradores e engenheiros.

2 – Responsável técnico
É a hora de escolher um responsável para sua reforma. Tanto o engenheiro civil como o arquiteto são aptos para isso. Mas por terem formações específicas, em geral o arquiteto cuida do projeto e o engenheiro civil da execução e administração da Obra.

Se na execução for solicitada alguma adaptação e/ou houver algum imprevisto, os dois profissionais deverão participar da decisão juntamente com o cliente. Este pode ajudar no entrosamento dessa parceria entre execução e obra, estimulando reuniões frequentes.

Para acertar na escolha dos profissionais peça indicação de amigos, converse com antigos clientes e visite obras.

3 – Informações preliminares
É muito importante que antes de iniciar o projeto, o arquiteto tenha em mãos as plantas hidráulica, elétrica e estrutural da edificação. Quem não dispõe desses projetos pode solicitar ao arquiteto uma prospecção dos espaços. Identificar o caminho de fios e tubulações que permita analisar custos e benefícios da intervenções, além de reduzir os custos com imprevistos.

Se possível consulte o autor da construção original. Isso não significa que a obra não poderá ser alterada, mas é preciso respeitar critérios arquitetônicos. O valor de uma Obra vai além do dinheiro investido em acabamentos caros.

4 – Projeto e Orçamento
Quando o projeto é rigorosamente detalhado, evita problemas como orçamento estourado, retrabalhos com a mão de obra, serviços que nunca acabam e o dinheiro que termina antes da obra ficar pronta.

Deve especificar tudo, das novas estruturas de paredes ao rodapé, paginação do piso, tipo de pintura. Essas informações são muito importantes, pois originarão os cronogramas físico e financeiro da obra.

Acertar na previsão de custos de uma reforma exige uma margem de reserva maior do que iniciar uma nova construção. Durante a execução da obra de Reforma é normal aparecerem imprevistos tais como encontrar tubulações com infiltrações, instalação elétrica danificada que precisa ser substituída e instalações de água pluvial que não comporta no período chuvoso. Por estes e outros motivos é importante um acréscimo de 15 a 20% no orçamento total da obra.

5 – Planejamento da obra
• Demolições;
• Remoção de materiais;
• Recebimento de material para obra.

Criar uma logística que permita coordenar a execução dos serviços possibilitando o cumprimento de prazos e orçamentos. Este é o momento de quantificar o que deverá ser feito e comprar o material para cada etapa. É importante frisar que para alguns materiais de revestimento o prazo de entrega pode ultrapassar 40 dias.

O ideal é conversar diariamente com o pedreiro ou empreiteiro para atualizar o cronograma de compra material para o dia seguinte, tais como areia, cimento, brita, tinta e até material de revestimento e pintura.

6 – Autorização
È muito importante a legalização do projeto junto a Prefeitura e no caso de apartamento é importante a comunicação do projeto e/ou reforma para o condomínio. Estes evita o atraso e/ou embargos dos trabalhos.

Quando há acréscimo de área ou estrutural é necessário o alvará de aprovação e execução da obra. No caso de mudanças menores, basta entrar com uma comunicação de pequenas reformas; apresentar a planta com as alterações e aguardar o deferimento para iniciar os trabalhos. Ambos podem ser solicitados na Prefeitura local.

7 – Enfim, a obra
É imprescindível que a empresa de mão de obra detalhe minuciosamente todo o escopo. Deve-se indicar a tarefa de cada cômodo e estabelecer inclusive qual parede e área que será demolida.Toda a especificação dos serviços deverá ser objeto do contrato. A parte documental é muito importante, pois assegura a responsabilidade tanto do cliente quanto da Construtora.

Leia mais sobre este assunto. 

Neusilane Lima é sócia proprietária da E CIVIL ENGENHARIA E CONSULTORIA. É graduada pela Universidade FUMEC, com MBA Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas. Mestrado em construção civil pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Email: neusilane@yahoo.com.br

  • Antônio Mundim

    Excelente artigo, abrange todas as necessidades para uma reforma, da mais complicada a mais simples ação. A autora destaca muito bem o planejamento, com muita objetividade e clareza.