Prepare sua casa para temperaturas diversas

0
893
Neste projeto, Marina Dubal privilegiou a ventilação, mas com o cuidado de aquecer o ambiente com carpete e madeira

Foi-se o tempo em que existia uma clara definição entre as estações do ano. Atualmente, a primavera e o outono, estações de temperaturas amenas, passam praticamente imperceptíveis. Tivemos que nos acostumar a sentir frio ou calor. Diante dessa realidade, profissionais da área de arquitetura apresentam soluções para fazer com que as casas sejam confortáveis tanto em verões intensos quanto em invernos rigorosos.

“Para evitar ambientes muito quentes é bom sempre priorizar a ventilação cruzada, que se dá por janelas em fachadas opostas, permitindo a saída do ar quente e a entrada do ar fresco. Já para a proteção contra o frio, o ideal é usar materiais no revestimento das paredes que tenham grande inércia térmica. São materiais que vão retendo o calor do sol lentamente durante o dia e, com o pôr do sol, começam a troca de calor com os ambientes ao seu redor. Paredes revestidas de pedra voltadas para o poente são opção interessante”, exemplifica a arquiteta Marina Dubal.

A arquitetura sempre se preocupou em proteger as pessoas das temperaturas extremas. O que mudou é que, hoje, essas características precisam ser combinadas, independente da região onde a casa esteja construída. “O ideal é que haja a associação de ambas as soluções, já que no Brasil as estações causam mudanças bruscas na temperatura e temos regiões em que há calor durante o dia e frio à noite”, analisa Marina.

Até mesmo os revestimentos podem ser associados já que, assim como existem os que aquecem, há também os que esfriam os ambientes. “Carpetes tapetes e pisos de madeira aquecem os ambientes. Cerâmicas, vidros e algumas pedras esfriam. Estes materiais precisam ser combinados no mesmo projeto para garantir, não somente o conforto em relação ao clima, mas a eficiência e a durabilidade da casa”, enumera a arquiteta e colunista do Portal emorar Flávia Soares

Flávia reforça também a importância de estar atento à orientação da construção. “É importante estudar o posicionamento da casa em relação ao sol contemplando as necessidades do verão e do inverno. As fachadas devem ser estudadas para que as aberturas sejam suficientes para circulação do ar e para que o sol não invada o interior da casa gerando desconforto no calor, mas que, ao mesmo tempo, ofereça proteção no frio”, pontua.

As profissionais garantem que, mesmo para quem mora em apartamento, é possível fazer algumas intervenções com o objetivo de se obter conforto térmico. “Em apartamentos é possível melhorar o conforto térmico com algumas interferências de mudanças de piso, cortinas, revestimentos de parede e outras soluções”, diz Flávia. “O ideal é que haja orientação profissional, uma vez que tudo depende da insolação no cômodo, se há ventilação cruzada, entre outros fatores”, arremata Marina.