Custos de condomínios em SP aumentam 1,18%

0
526
As despesas com Pessoal e Encargos mantiveram estabilidade nos custos de condomínios em maio, totalizando 9,75%
As despesas com Pessoal e Encargos mantiveram estabilidade nos custos de condomínios em maio, totalizando 9,75%
No acumulado de 12 meses, os custos de condomínios  em São Paulo subiram  11,27%, percentual muito próximo ao IGP-M

Os custos de condomínios em São Paulo em maio, medidos pelo  Índice dos Custos Condominiais (Icon),  apurado pelo Departamento de Economia e Estatística do (Sindicato da Habitação (Secovi-SP), registraram um aumento de 1,18% na Região Metropolitana de São Paulo.  A variação acumulada em 12 meses (junho de 2015 a maio 2016) foi de 11,27%, percentual muito próximo ao do IGP-M medido pela Fundação Getúlio Vargas, que foi de 11,09% no mesmo período.

Neste mês, Tarifas registraram alta de 5,89% e no acumulado dos últimos 12 meses, 17,21%; o item Manutenção e Equipamentos apresentou variação de 0,82% no mês e de 11,09% no acumulado.

As despesas com Conservação e Limpeza registraram pequena alta de 0,64% e de 10,29% no acumulado. O grupo formado por itens diversos subiu 0,82% e 11,09% no acumulado. As despesas com Pessoal e Encargos mantiveram estabilidade, totalizando 9,75% no acumulado no referido período.

“É importante que o síndico acompanhe  os custos de condomínios medidos pelo  Icon, pois ele serve de parâmetro das variações de custos dos condomínios. Porém, o índice não deve ser usado para reajustar a taxa condominial, pois cada condomínio tem sua própria característica e estrutura de despesas”, afirma o vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Sindicato, Hubert Gebara, que recomenda a consulta de uma administradora, para que o síndico verifique o aumento real dos custos, a fim de que, no futuro, não haja desequilíbrio nas contas do condomínio.

Inadimplência

Já o número de ações por falta de pagamento de taxa de condomínios subiu 40%, de acordo com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Foram protocoladas na cidade de São Paulo 631 ações por falta de pagamento nos condomínios em março.