Custo de construção civil sobe 0,58% em julho

0
91
De janeiro a julho, a mão de obra subiu 3,82% no custo de construção civil. Foto: Pixabay.com
De janeiro a julho, a mão de obra subiu 3,82% no custo de construção civil. Foto: Pixabay.com
Em 12 meses, o custo de construção civil, medido pelo Sinapi, do IBGE, subiu 4,25%

custo de construção civil, medido pelo Índice Nacional da Construção Civil (SINAPI), do IBGE,  subiu 0,58% em julho. Essa foi a maior taxa do ano de 2017, situando-se 0,20 ponto percentual acima dos 0,38% de junho. Os últimos 12 meses ficaram em 4,25%, resultado acima dos 3,86% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em julho de 2016 o índice foi 0,20%.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em junho fechou em R$ 1.046,68, em julho subiu para R$ 1.052,75, sendo R$ 537,78 relativos aos materiais e R$ 514,97 à mão de obra.

O segundo semestre do ano inicia com alta na parcela dos materiais (0,28%), diferente de julho de 2016, quando eles apresentaram taxa negativa (-0,11%). Em relação ao mês anterior, a parcela dos materiais apresentou aumento de 0,27%, frente à estabilidade do mês de junho (0,01%). Já a parcela da mão de obra, com diversos estados apresentando reajuste salarial, subiu para 0,90%, taxa superior à do mês anterior, que foi de 0,78%.

De janeiro a julho, os acumulados são 1,25% (materiais) e 3,82% (mão de obra), sendo que em 12 meses ficaram em 1,86% (materiais) e 6,91% (mão de obra).

Região Sul registra maior variação mensal

Devido à variação captada na mão de obra nos estados do Paraná e Rio Grande do Sul, consequência de reajuste salarial de acordo coletivo, a Região Sul apresentou a maior variação regional em julho (1,33%). Já a região Norte ficou com a menor variação (-0,18%), apresentando taxas negativas para as parcelas de materiais e mão de obra: -0,29% e -0,05%, respectivamente. Nas demais regiões os resultados foram: 0,12% (Nordeste), 0,92% (Sudeste) e 0,23% (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.053,04 (Norte); R$ 973,50 (Nordeste); R$ 1.103,17 (Sudeste); R$ 1.097,55 (Sul) e R$ 1.053,77 (Centro-Oeste).

Rio de Janeiro tem a maior alta

O Rio de Janeiro, com 3,03%, foi o estado com a mais elevada variação mensal, decorrente tanto pela parcela da mão de obra (4,47%), consequência de reajustes salariais por acordo coletivo, como também pela parcela dos materiais (1,41%). A seguir veio Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul com 2,14% e 1,85%, respectivamente, ambos também sob impacto de reajuste definido na convenção coletiva. Paraná, Alagoas, Tocantins, Espírito Santo e Maranhão também apresentaram alterações salariais previstas nas convenções coletivas.

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

Julho/2017 considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil.

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1052,75 526,97 0,58 2,46 4,25
REGIÃO NORTE 1053,04 524,69 -0,18 1,36 3,48
Rondonia 1089,73 607,53 0,11 2,25 1,65
Acre 1153,82 612,51 -0,28 2,37 2,75
Amazonas 1028,15 503,34 -0,18 4,42 3,85
Roraima 1095,90 455,16 0,07 0,88 6,28
Para 1030,17 493,78 -0,41 -1,13 2,56
Amapa 1046,96 508,54 -0,50 3,03 4,55
Tocantins 1118,71 588,23 1,05 3,49 7,34
REGIÃO NORDESTE 973,50 525,92 0,12 2,63 3,69
Maranhão 1008,27 531,12 0,37 3,91 4,29
Piaui 1003,56 666,88 0,04 1,55 4,77
Ceara 956,03 552,14 0,02 0,19 0,68
Rio Grande do Norte 934,41 471,00 0,40 2,79 6,79
Paraiba 1025,68 567,15 0,13 3,12 5,44
Pernambuco 952,53 509,28 -0,35 1,84 4,59
Alagoas 967,65 483,56 1,65 2,52 2,61
Sergipe 928,44 493,47 0,04 2,69 2,63
Bahia 974,08 515,53 0,04 3,94 3,71
REGIÃO SUDESTE 1103,17 528,00 0,92 2,75 3,99
Minas Gerais 1001,97 551,41 0,46 4,49 4,81
Espirito Santo 966,04 535,80 1,13 2,16 6,92
Rio de Janeiro 1189,00 541,91 3,03 3,58 3,44
São Paulo 1140,71 515,31 0,31 1,58 3,62
REGIÃO SUL 1097,55 524,84 1,33 2,79 6,13
Parana 1076,96 515,09 1,70 1,90 6,49
Santa Catarina 1183,55 641,16 0,29 4,44 6,03
Rio Grande do Sul 1049,24 476,35 1,85 2,60 5,69
REGIÃO CENTRO-OESTE 1053,77 537,96 0,23 1,54 5,37
Mato Grosso do Sul 1048,72 493,10 2,14 3,11 2,99
Mato Grosso 1052,38 600,44 0,03 0,66 6,60
Goias 1025,72 541,75 -0,45 0,84 4,50
Distrito Federal 1098,29 485,02 0,15 2,54 6,54

 

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

Julho/2017 não considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil.

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1131,96 566,39 0,60 2,56 4,43
REGIÃO NORTE 1126,91 561,42 -0,16 1,53 3,83
Rondonia 1166,06 650,12 0,10 2,38 1,81
Acre 1235,84 655,87 -0,26 2,58 2,90
Amazonas 1100,03 538,80 -0,17 4,71 4,19
Roraima 1178,70 489,50 0,06 0,88 6,48
Para 1102,06 528,03 -0,39 -1,08 2,96
Amapa 1119,00 543,39 -0,46 3,36 4,80
Tocantins 1197,04 629,23 1,09 3,74 7,79
REGIÃO NORDESTE 1043,12 563,35 0,14 2,72 3,83
Maranhão 1078,90 568,55 0,45 4,10 4,46
Piaui 1071,31 711,76 0,03 1,45 4,96
Ceara 1021,96 589,96 0,02 0,21 0,66
Rio Grande do Norte 998,19 503,02 0,38 2,62 6,88
Paraiba 1097,52 607,00 0,12 3,34 5,70
Pernambuco 1021,24 545,77 -0,33 1,97 4,87
Alagoas 1035,57 517,43 1,81 2,66 2,73
Sergipe 994,17 528,44 0,04 2,85 2,78
Bahia 1047,59 554,15 0,04 4,12 3,87
REGIÃO SUDESTE 1190,38 569,61 0,92 2,81 4,07
Minas Gerais 1075,64 591,85 0,43 4,67 4,97
Espirito Santo 1039,56 576,71 1,23 2,28 7,24
Rio de Janeiro 1287,19 586,81 3,14 3,63 3,52
São Paulo 1232,76 556,88 0,26 1,58 3,65
REGIÃO SUL 1184,56 566,43 1,42 2,89 6,48
Parana 1165,61 557,32 1,83 2,01 6,95
Santa Catarina 1280,55 693,48 0,27 4,54 6,26
Rio Grande do Sul 1123,86 510,26 2,02 2,71 5,96
REGIÃO CENTRO-OESTE 1127,37 575,45 0,27 1,57 5,64
Mato Grosso do Sul 1121,28 526,84 2,34 3,25 3,11
Mato Grosso 1127,02 642,95 0,02 0,60 6,80
Goias 1096,04 578,57 -0,42 0,85 4,74
Distrito Federal 1175,81 519,44 0,18 2,70 7,09